domingo, 6 de outubro de 2013

Animais, a melhor companhia | Trigueirinho

 
“Ao estarmos junto ao reino animal para serví-lo, logo descobrimos o quanto somos por ele ajudados.
 
É que no contato entre o reino humano e o animal podem ocorrer profunda interação e rico aprendizado mútuo.
 
Para os animais, o estado humano é a meta à qual, em algum lugar do cosmos, deverão chegar.
Deveríamos ser para eles os intermediários das emanações do reino espiritual.
 
De certo modo, representamos para os animais o que Deus representa para nós.
 
Ao mesmo tempo, os animais promovem importantes transformações no ser humano.
 
Guiados por leis precisas, são colocados onde mais nos podem ajudar.
 
Sua pureza os torna capazes de sinalizar o que está ou não adequado em nós e no ambiente.
 
Porém, a inocência os torna também vulneráveis às influências do meio.
 
Absorvem a realidade tal qual é, de forma direta, e a refletem com sinceridade.

É necessário cuidar para que nada interfira na sua harmonia inata.
Um relacionamento verdadeiro e atual precisa ser desenvolvido entre homens e animais.
 
Nesse relacionamento os últimos serão beneficiados com os serviços dos primeiros e com sua gratidão pelo papel que os animais tiveram no desenvolvimento da humanidade.
 
Sabe-se que, para um reino da natureza ter uma evolução especial e rápida, como aconteceu com o reino humano até que atingisse o estágio mental-intuitivo, é necessário que algum outro reino, no mesmo sistema solar, renuncie a certos passos importantes, para haver um equilíbrio.
 
Foi o que se deu entre o reino humano e o animal. Para o reino humano ter o seu processo evolutivo acelerado de modo excepcional, o reino animal permaneceu em ritmo bem mais lento do que lhe seria possível.
A distância entre a consciência de um animal de médio desenvolvimento e a de um homem não seria tão grande se o reino animal, como grupo, não tivesse aceitado essa condição, dando assim passagem ao homem para enveredar pelos caminhos superiores.
Muito há que colaborar com os representantes dos diversos reinos da Natureza, com amor desinteressado.
 
Com reverência pela divindade que habita o interior de cada ser vivente, os servidores devem estar atentos para compreender as necessidades verdadeiras desses irmãos menores.”
------------------
 
Irdin Editora – Saiba mais em:
Irdin Editora
Vigília Permanente


------------
Este é o 15º (décimo quinto) artigo de José Trigueirinho publicado em ♥ Amor e Paz Sem Fronteiras ♥

Um comentário :

JOÃO FORTUNATO SILVA disse...

O primeiro passo para amarmos os animais com carinho e com o respeito sagrado que nos merecem, por serem também filhos de Deus e, algum dia, serem humanos, é deixar de comê-los (QUE HORROR!...).
há mais de 40 anos que não comemos carne!... e mal lhe tocámos na vida!... por isso (e não só) a nossa saúde e sensibilidade mística, racional e intuitiva se tornaram extraordinárias...

QUEM QUISER LER ESTE TÓPICO, SE AINDA COME CARNE FICARÁ ESPANTADO, DESCONCERTADO, DESMOTIVADO PARA COMÊ-LA...
EM:
http://aquariusidadedeouro.blogspot.pt/
B: ComerCarne: Actualidade-02

P A Z P R O F U N D A ! . . .
P.A.I. − Paz, Amor, Iluminação!...

Prof. Astrophyl
Um Sábio de Portugal