segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Uriel - 26-10-2011 - Autres dimensions



Eu sou URIEL, Anjo da Presença e Arcanjo da Reversão.
Eu sou aquele que vem oferecer a Passagem e a Graça.

Bem amados Filhos da Luz, que a Graça seja seu Presente.
Tal é o presente da Graça.

Hoje vamos, juntos, exprimir e Vibrar, bem além de simples palavras que empregarei, o Tempo da Graça, o Tempo da Presença a Si, tornando-os Presentes no mundo, na Verdade da Luz e da Unidade, a fim de que resplandeça a Glória do Um, a fim de que a Terra testemunhe e viva a Ascensão de sua Vibração nas Esferas da Unidade, acompanhando o Universo e o conjunto desse Sistema Solar nos Tempos da Graça, porque os tempos estão consumados, consumando, em vocês, a Graça e seu Presente.

Filhos do Um, manifestem a Graça, que é o presente feito para sua Presença.
Basta estar no Instante de sua Presença, no tempo de sua Presença, Presentes a si mesmos, Presentes ao mundo, Presentes ao Instante e Presentes ao Éter, a fim de que o Éter revele-se em sua Graça.

Luz do Um, Luz da Unidade, Luz de Verdade, que põe fim ao isolamento, aquele que era seu, que é restituído.
Enfim, o Tempo do fim.
Enfim, o Tempo da Passagem.
Tempo de contentamento e de Alegria.
Tempo de Verdade, no qual a revelação da Luz deixa lugar à Ascensão da Luz, respondendo ao Apelo da FONTE Una, que vem do Centro, a fim de que seu centro, aquele do Coração, eleve-se e desperte à Verdade da Unidade, a fim de que vocês possam, Presentes a si mesmos e Presentes ao mundo, viver a Presença.
Presença da Graça, que é a Graça presente em vocês.

Filhos da Graça, a hora chegou de saudar e de abrir a Porta àqu’Ele que vem, para entrar e magnificar o sentido de sua vida e o sentido de sua Presença para além desse mundo sobre o qual vocês estão, a fim de penetrar, em plena Consciência e em plena Unidade, os Mundos do Um.

Bem amados filhos do Um, Amados da Graça, cabe a vocês viver e abrir o que deve sê-lo.
Então, Filhos, vão para o que vocês São, de toda a Eternidade.

Sair do efêmero e entrar no Templo de seu Presente, porque Ele está aí, presente, a aguardá-los e a esperá-los.
Não há mais tempo, não há mais data, porque não haverá mais espaço para subtrair-se da Ação do Um, da Ação da Promessa e do Juramento.

Os tempos estão consumados, porque o Tempo veio do Novo Nascimento.
Nascer, nascer no Um, a fim de que cada um possa viver a Graça do Um, a Graça da Verdade, o Tempo da Presença a Si.
Cada um aberto a esse Tempo, no Tempo fora do tempo, que os chama num Tempo, chamado o Tempo Presente, para desvendar sua Presença e para Vibrar ao Som do Um, ao som da FONTE, ao Som do Céu e da Terra, enfim reunificados na mesma pulsação, na mesma Vibração, na qual vocês são esperados e aguardados, na Comunhão dos Uns, na Comunhão das Dimensões, na Comunhão dos Mundos Livres, a fim de viver a Liberdade do Um, a Liberdade da Graça, o Tempo da Graça que se revela em seu Templo Interior, chamando a Vibração do Coração a tornar-se a Vibração Essência e Essencial, dando-lhes o Sentido e o Tempo da Unidade, bem além do tempo desse mundo.
Presentes em todos os Tempos e em todos os Universos, nos mesmos Espaços e nos mesmos Tempos, que nada mais têm a ver com o inferno, aquele do confinamento.

Bem amados Filhos do Um, eu testemunho, em nome da FONTE, por minha Presença e minha Vibração em vocês, o Tempo do Coração, aquele de Ki-Ris-Ti, da Ardência do Sol e da Ardência de seu Coração, aquecendo em vocês o que deve sê-lo, pela Graça do Um e da Luz.
Vocês são isso.
Então, abramos, juntos, um espaço de Comunhão que jamais poderá voltar a fechar-se, que jamais poderá ser alterado, porque o Tempo chegou de ser Livre: ele acaba de renascer à nova Vibração, à nova banda de frequências que não conhece nem limite inferior nem limite superior, que os faz descobrir a Verdade de seu Ser, a fim de Ser ao mais próximo da Graça do Um, ao mais próximo da Graça da Verdade da Luz Una, magnificada por sua Consciência, magnificada por seu Despertar, aquele do Coração Ardente, Coração Ardente do Sol.
Filhos Ardentes do Sol, elevem-se na Vibração do Um, que abrem e estendem, em vocês, as asas, aquelas que permitem significar sua Unidade e significar sua Presença nos Mundos Unificados.

Filhos do Um, o Instante é aquele da Graça.
Por nossa Comunhão e nossa Presença, no Tempo e no tempo desse espaço, nós abrimos, juntos, o Templo do Um, no Templo de carne que é, de momento, o seu, a fim de que a Existência, Corpo de Espírito magnificado, Corpo de Ressurreição, renasça, tal uma Fênix, de suas cinzas.

Agora, nesse Tempo do Instante, nós estamos Unidos e reunidos na Comunhão do Coração do Um, na Comunhão do Coração de cada um, no Coração de todos.

Abram, abram as asas, como se abre o Coração, a fim de que o receptáculo e o cálice preencham-se da Presença d’Ele, que é sua Presença, elevando o Si nas Moradas Eternas da Paz Suprema.

Filhos da Unidade, Filhos de Verdade, a hora da Criação chegou, a fim de nascer à Ressurreição do Espírito, a fim de que a carne volte a tornar-se Transparência, a fim de que a carne volte a tornar-se Leveza, Comunhão e conexão, assinalando o Retorno à Verdade e à Beleza.

Filhos do Um, na Comunhão de nossa Presença, de meu Coração ao seu Coração, do Coração da FONTE ao seu Coração, celebremos a Presença da Unidade e a Vibração da Unidade, juntos, reunidos e Liberados, unidos e Unificados.

Nós Vibramos juntos, nós, Arcanjos, e o conjunto de Consciências Unificadas.
Celebramos, antecipadamente, o Retorno à sua Unidade, o Retorno à sua Verdade, a fim de que a Alegria seja sua Morada de Eternidade, a fim de que a Verdade seja sua Morada, para sempre estabelecida na Verdade, estabelecida em CRISTO.

Filhos do Um, através de minhas palavras, através de sua Transparência, acolhamos, na Humildade e na Simplicidade, a Vibração palpitante da Unidade da FONTE, que vem despertar, em vocês, a reminiscência do que vocês São, para além do esquecimento e para além da separação.

Filhos do Um, celebremos, juntos, a Comunhão dos Uns com o Um.
Isso se abre e torna-se possível, porque sua Consciência e Espírito podem, doravante, escapar da marca desse tempo, desse mundo, a fim de penetrar no Tempo sem tempo, sem mais esperar.
A fim de que vivamos, de Comunhão em Comunhão, sua Ascensão e nossa Descensão, permitindo-nos reunir no nó da Unidade, no qual se Libera e revela-se a totalidade dos possíveis, a totalidade dos Cantos da Criação, a fim de voltar a tornar-se Criador de sua vida, Criador de sua Consciência.

Filhos do Um, Unificados ao Um, o Tempo chegou de não mais viver o mínimo medo, porque o Amor está além do medo, porque a Luz vem, enfim, despertar, inteiramente, o Coração do Ser e o Coração da Consciência, magnificando sua Presença no Si despertado, no Si realizado, no Si e no mundo, a fim de que esse mundo não seja mais alterado por quem quer que seja e pelo que quer que seja.

Juntos, pela Graça da Comunhão, elevemos a Vibração.
Pela Graça da Paixão, para além de toda paixão, pela Paixão do CRISTO, do Amor Crucificado e Ressuscitado na Unidade da Verdade, juntos, nós Vibramos na Graça da Comunhão.

De meu Coração ao seu Coração e de cada Coração Presente, aqui e em outros lugares, ao meu Coração (que é o mesmo Coração, que bate em uníssono ao Um), vivamos, juntos, essa Comunhão.

União e Liberdade, Verdade e Vibração e Pulsação, ressonância útil da Beleza, da Glória e da Verdade.
Para além de toda Ilusão, para além de toda percepção, no silêncio das palavras, no silêncio dos sons, vocês penetram, enfim, através de sua última Passagem, aquela da Porta Estreita, nas Esferas do Silêncio e nas Esferas dos Anjos, nas quais tocam mil violinos, nas quais os Anjos acolhem-nos por seu Canto Unificado, magnificando a Presença de vocês no Si, na Unidade.
Isso está aberto, porque a Porta está aberta.
Isso é possível porque, na Graça, nada há de impossível.
Para isso, sua consciência deve desviar-se de tudo o que é falso, abrir-se a tudo o que é Verdadeiro, sair do efêmero e entrar na Eternidade.

Filhos do Um, Filhos de Verdade, a hora e o Instante são o Tempo da Presença, doação da Graça que magnifica seu Presente, que magnifica seu Instante e que magnifica sua Vibração.
Juntos, acolhamos a Graça do Um.
Vivamos, juntos, a Comunhão dos Santos e a Comunhão dos Uns, a fim de que o mundo torne-se Consciente e seja Livre para fazer a escolha da Graça, a escolha da Unidade e da Verdade.

Façamos, juntos, o Silêncio da Comunhão.
Escutemos e ouçamos o Apelo do Um para viver o Si.
O Apelo do Um para responder à Graça d’Ele, por sua Graça.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Bem amados Filhos da Lei de Um, na qual a única Lei é a Unidade, na qual o único peso é a Leveza, na qual a única Liberdade é aquela de ser Livre, na qual a única missão é aquela de Ser, permanentemente e para a Eternidade, a cantar o Canto da Criação, a cantar os Louvores da Verdade e da Unidade, percorrendo as Dimensões ou inscritos na Luz Una, vivos.
Porque vocês o São, para além da morte desse mundo, para além desse mundo que é Ilusão.

O Tempo chegou de sua Verdade.
O Tempo chegou de palpitar na Vibração Una.
O Tempo chegou de viver.
Então, juntos, Comunguemos ao conjunto dos Arcanjos dos quais me faço, nesse instante, o porta-voz Vibral, a fim de despertar as Estrelas de seu Coração, as Portas e os Pilares de seu Coração, a fim de que nada mais seja confinado, a fim de que nada mais seja selado, a fim de que nada mais seja isolado.

Comunguemos.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Juntos, na Unidade e na Verdade, proclamemos, no Instante Presente, a Presença a Si, no «eu sou Um».
Comunhão de Graça.
Comunhão e Fogo.
Fogo do Coração, que vem abrasar e elevar o Coração de sua Unidade, o Coração de sua Existência, o Coração de sua Consciência.
No mesmo Canto e no mesmo Silêncio, aquele que abre as Portas à Comunhão e ao CRISTO.
A Dança das Estrelas, a Dança do Sol e a Dança de seu Coração permitem a esse corpo viver a mutação que o conduz à sua Transparência, que o conduz à sua Alegria.

Acolhamos, nesse espaço Vibral, o Canto de OD, Passagem de Porta e Abertura.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

É tempo de abolir as distâncias e os tempos, aqueles da Ilusão.
É tempo de estabelecer-se na Presença d’Ele, na Graça e no Presente da FONTE Una, a fim de magnificar sua Consciência.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

A Estrela que brilha nos Céus aproxima-se a grandes passos, para vir abraçar o Céu e Liberar, inteiramente, a Consciência do Ser.
E Liberar, inteiramente, pela Graça do Fogo e do Espírito.

O Tempo é para a consumação.
O Tempo chegou de sair desse tempo, para entrar na Eternidade, a fim de esquecer essas vidas, esses sofrimentos, a fim de não mais portar o medo e os horrores da separação, a fim de ouvir o Canto da alegria da Unidade, no silêncio das palavras e no silêncio dos males, a fim de que apenas a Alegria permaneça, porque ela é sua Morada, para a Eternidade, porque ela é seu Espaço, sem limite e sem fim.

O Verbo, e não mais a linguagem, fez-se carne.
O Verto volta a tornar-se Espírito: aquele de Verdade, aquele do Amor.
O Verbo é Luz, porque Linguagem Vibral.
O Verbo é Verdade, porque ele soa em vocês e faz ressoar o Coração.
Cada um de vocês pode viver a Graça, na condição de que a Graça torne-se, inteiramente, sua Presença, no Tempo do Instante, para além de todo sofrimento, para além de todo peso.
Há apenas a necessidade de que o Coração abra-se e incline-se no Instante Presente.
Então, a Graça e a Comunhão inundarão a Consciência.
A Alegria tornar-se-á a Eternidade, como vocês fizeram no Juramento, há extremamente muito tempo de seu tempo, à FONTE Una.
E, juntos, unidos no Um e Liberados, eu Vibro, em vocês e por vocês, na Comunhão da Graça.
Amados do Um, amados do Amor.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Juntos, Unidos e Liberados em Comunhão, nós Unificamos a Consciência, a fim de que o Louvor do Um torne-se o Canto da Vida, o Canto de sua Presença.
No silêncio da Ilusão e na Plenitude do Coro dos Anjos.
Abram a Porta à nossa Comunhão.
Nada há a reter.
Nada há a conservar, porque tudo deve ser dado, porque tudo deve ser Abandonado à Graça e à Verdade.
Filhos do Um, Comunguemos no Fogo do Espírito, no Fogo do Coração e na Unidade revivificada.
O tempo de sua Presença chegou.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Então, juntos, por minha Presença e sua Presença, nós podemos Trabalhar no Ser absoluto, estabelecido no Um e Passar o que há a Passar.
Revelemos o átomo embrião de Diamante.
Revelemos o Espírito que jamais pôde ser apagado.
Enquanto desenrola-se e desenrolar-se-á o alarido desse mundo, percebam apenas o Canto do novo Nascimento, aquele da Consciência Una.
Tornem-se a Alegria que vocês esperam ver nesse mundo, em sua nova Vibração e em sua Ascensão.
Tornem-se o Ser que vocês jamais deixaram de ser.
Os véus do isolamento e da Ilusão serão consumidos, inteiramente, abrindo seus olhos e seu Coração, dando-lhes a ver o Éter e o Coração, dando-lhes a viver o Som da Unidade, dando-lhes a viver o Tempo Eterno da Graça.
Comunhão permanente e perpétua.
Nova Eucaristia da Tri-Unidade.
Em todo Mundo e em toda Dimensão, nos quais estará sua Consciência, magnificada, Revelada ao Si e à sua Presença.

Juntos, vocês aqui e em outros lugares, e eu, Arcanjo URIEL, vivamos e reforcemos a Comunhão e a Graça, pelo Fogo do Espírito e o Fogo do Amor.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

O Tempo é aquele do Coração, aquele da Presença, aquele da Vibração, da Unidade e da Liberdade.

Amados do Um, a Trombeta de Ressurreição ecoará em seu Coração.
Graça do Amor.
Graça feita para esse mundo.
Nesses Tempos de Ascensão.
Nesses Tempos de Alegria.
A Comunhão e a Unificação de Consciências é a arma a mais intensa do Amor e do Um.
Então, emitamos, no ser íntimo e Interior, o Canto da comunhão e o canto da Graça, revelação de Luz que vem iluminar o Templo do Coração, acendendo a Lâmpada e a tocha do Fogo, aquela que vai trabalhar nas colunas da Liberdade e nas asas do Vôo.
Juntos, Unidos e Livres, na Unidade da Alegria, na Unidade da Vibração, na Unidade da Tri-Unidade, no Fogo de sua Tripla Lareira, Comunguemos.


... Efusão Vibratória / Comunhão...

Nós somos Um, porque tudo é Um.
Nós somos o Amor, porque tudo é Amor.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

O Tempo chegou de mostrar sua Chama e sua Ardência.
O Tempo chegou de iluminar esse mundo, inteiramente, pela Presença da Graça e a Graça de sua Presença, a fim de que o Canto da Comunhão conclua suas Núpcias de Luz.
No abrasamento do Amor, no abrasamento do Sol e da Terra, e desse corpo que se forjará no Amor, na Transparência e na Beleza.

Então, como Anjo da Presença e Anjo da Reversão, Arcanjo da Passagem, eu lhes emito e transmito minha Graça.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Vocês serão chamados pelo Canto do Êxtase a entrar em Comunhão, a viver sua Unidade, no Tempo da Passagem Interdimensional, no qual o Coração abrasar-se-á, de maneira eterna.
Tudo é Um, porque nós somos Um.
Dignem-se, Filhos do Um, aceitem minha Presença em seu Coração.
Dignem-se viver a Comunhão de nossa Unidade.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Eu, URIEL, Anjo da Presença, Anjo da Magnificência, emite-lhes o que deve ser emitido.

Comunguemos.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Tudo é Um.
Nós somos Um.
Eu sou Um.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Eu suis URIEL, Anjo da Presença.
De meu Fogo ao seu Fogo, no mesmo Amor e na mesma Verdade.
O Batismo de Fogo, aquele do Espírito Santo, vem fecundar e vivificar o sentido de sua Presença e a acuidade de sua Presença, a fim de viver a Fusão do Éter e a Fusão do Um, nesse espaço, nesse lugar, em todo Espaço e em todo lugar, tanto nesse tempo como em Todos os Tempos.

Comunhão e Graça.


... Efusão Vibratória / Comunhão...

No Amor do Um, na Verdade do Um, na Luz do Um.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Tudo está consumado, porque tudo é Um.
Eu sou URIEL, Anjo da Presença, e eu sou vocês, nesse espaço e em todo Espaço, em Comunhão.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Vibração do Único, no Templo do Coração, em nome do Um e da Verdade, damo-nos os Corações, no mesmo Coração.

Eu sou URIEL, eu nos amo, porque eu sou Amor.
E eu recebo seu Amor, porque vocês o São, tanto quanto eu o sou.
Nós somos Um.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Eu saúdo, em vocês, a Beleza e a Verdade.
Eu saúdo, em vocês, a Graça e a Presença.
Eu saúdo o que vocês São.
E eu rendo Graças pelo que nós Somos.

URIEL lhes diz, no Fogo do Espírito, na comunhão de suas 19 horas (hora francesa): até já e até sempre.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.
Mensagem publicada em 26 de outubro, pelo site AUTRES DIMENSIONS.
Versão para o Português - Célia G - leiturasdaluz.blogspot.com

--------------------------------------------------------------------------------

Mensagem Publicada no site: www.mestresascensos.com

ANAEL - 24-10-2011 - Autres Dimensions




Eu sou ANAEL Arcanjo.

Bem amados Filhos da Luz, bem amadas Sementes de Estrelas, que a Graça, o Amor e a Unidade se estabeleçam entre nós.
Vivamos, em primeiro lugar, um espaço de Comunhão.

... Efusão Vibratória ...

Bem amados Filhos da Lei do Um, minha vinda entre vocês foi ditada pela assembleia dos Arcanjos, chamada de Conclave.
Assim, eu venho expressar-me, por minha Presença, minha Irradiação e minhas palavras, entre vocês, a fim de explicitar o que muitos de vocês começaram (ou vão começar) a experimentar com relação a esse mecanismo de passagem da consciência atual à Consciência nova.

Eu não voltarei nos mecanismos da Consciência nova, isso lhes foi revelado e ensinado de diferentes maneiras.
Eu não falarei mais de sua consciência atual porque, ela, vocês devem conhecê-la.
Mas eu irei desenvolver, sobretudo, o que, durante este período, pode parecer-lhes etapas e marcadores referentes à passagem de uma à outra.
Passagem podendo fazer-se nos dois sentidos, no momento.

Podendo traduzir-se, ao nível do que vocês vivem, como ao nível do seu corpo, como ao nível do seu ambiente, por certo número de modificações mais ou menos agradáveis, mais ou menos felizes, refletindo a passagem de uma à outra.

A passagem da consciência fragmentada para a Consciência Turiya acompanha-se de uma série de mecanismos Vibratórios, mas também de certo número de mecanismos colocando-os frente ao que existe, em vocês, ainda, para pacificar e para liberar.
A época dessa passagem que vocês estão prestes a viver segue agora seu momento decisivo, a fim de permitir-lhes ajustar-se ao mais próximo da Vibração Ki-Ris-Ti, da Luz Branca e da sua Unidade.

Isso não ocorre sem inconveniente, seja em meio às suas estruturas, como também através das idas e vindas de suas diversas experiência de consciência.
Dessa maneira, durante este período, muito precisamente chamado de ‘choque da humanidade’, desenrola-se, em vocês, como no exterior de vocês, na mesma sincronia e na mesma manifestação, certo número de elementos chamando-os a repassar a Porta Estreita, durante essa terceira passagem, lembrando, de algum modo, a passagem ligada à Abertura da boca, realizada pelo Arcanjo Uriel durante seu mês de dezembro do ano passado.

Doravante, sua consciência vai experimentar idas e vindas.
Essas idas e vindas não são, para muitos de vocês, de modo algum descanso.
Traduzindo-se, é claro, por continuações de sinais físicos extremamente variados, extremamente intensos.

Passando por momentos de consciência completamente ocluída, com relação à consciência ordinária, sem, no entanto, viver a Consciência nova.
Levando-os a se colocar questões sobre suas memórias, levando-os a se colocar questões sobre a manutenção de suas atividades, levando-os a se colocar questões sobre seu próprio corpo e suas próprias sensações, às vezes importunas, fazendo com que modificações térmicas, dores diversas e variadas, localizem-se nas Portas ou nas Estrelas, assim como alteração de seus ritmos de sono, assim como percepções Vibratórias ocorrendo, cada vez mais, brutalmente (independentemente dos seus espaços de Alinhamento, dos seus espaços de conexão e dos seus espaços de Comunhão).
Isso pode se traduzir, também, ao nível de sua esfera psicológica, pelo ressurgimento dos últimos engramas, ligados aos últimos medos, aqueles chamados de apegos coletivos (ndr: ver coluna “protocolos a praticar”) (), mas de maneira muito mais penetrante, de maneira muito mais intensa e concisa do que o que alguns de vocês puderam viver até agora.

Portanto, neste intervalo de tempo e durante essas passagens, podem manifestar-se, com uma acuidade sempre mais viva, certo número de elementos e de sentimentos particulares, refletindo os diferentes medos, ainda manifestados pela personalidade, em meio à consciência atual, e vindo, de alguma forma, restringir seu acesso à Consciência nova.

A palavra mestre desses bloqueios temporários e limitados (mesmo se sua intensidade pode parecer-lhes, para alguns de vocês, extremamente difícil de superar) tem por nome “o medo”.
Os cinco medos arquetípicos resultam diretamente do seu confinamento nesta ilusão, colocando-os, justamente, frente aos medos de perder a dita ilusão.
Principalmente para aqueles de vocês que ainda não vivenciaram o acesso total à sua Unidade, em meio ao corpo de Estado de Ser.

Mas, mesmo para estes, existe um mecanismo de Passagem em Revisão levando-os, pouco a pouco, a aceitar ver, face a face, seus últimos medos.
Aceitar ver, face a face, suas últimas limitações, seus últimos confinamentos, a fim de se liberar, de maneira total e definitiva, antes do advento completo e coletivo da nova Dimensão.

Como vocês sabem, e como nós lhes repetimos (já desde vários meses do seu tempo terrestre), os mecanismos de Ascensão estão em andamento.
Eles começaram, a título individual, mais ou menos rapidamente, levando-os e os confrontando a viver esses últimos medos.

Mas, hoje, esses últimos medos são chamados a manifestar-se na coletividade humana, pondo fim, de alguma maneira, à Ilusão, mas também, pondo fim às suas próprias dúvidas e reativando, assim, todos os medos inscritos em meio a esses apegos coletivos.

Em primeiro lugar, a Passagem da Porta Estreita, o Abandono da personalidade, o medo da perda material, o medo da morte, o medo de perder esse corpo, o medo de perder o que quer que seja referente a este mundo.

Vem, em seguida, o medo afetivo, em ressonância direta com o medo da privação afetiva, para aqueles que não conhecem o afetivo totalmente livre dos Mundos Unificados e vivenciado no corpo de Estado de Ser.
Vem, depois, o medo do Abandono e da perda, conduzindo-os, finalmente, a Abandonar-se, integralmente, à Luz, porque ninguém pode lutar, com sua personalidade, contra o medo do abandono e da perda.

Há apenas o Abandono à Luz, total (como eu o defini desde alguns anos), que irá permitir-lhes transcender este último medo.
Em seguida, irão manifestar-se o medo da morte, nela mesma, e o medo do fim, em si mesmo.
Isso os leva a considerar e a conscientizar, em meio à consciência ordinária, que a morte não é um fim, mas sim o início de um novo mundo, de uma nova Dimensão e de uma nova qualidade de sua consciência, experimentando a liberdade, a mais total, para criar o que bem lhes pareça, para ir onde bem lhes pareça, em seu corpo de Estado de Ser, a fim de não mais ficar limitado a qualquer confinamento e por qualquer medo.
O ressurgimento, transitório, efêmero, mais ou menos importante, pode traduzir-se pelo despertar de alguns sintomas, em seu corpo.

Muitos de vocês percebem as Vibrações ligadas ao Som do Céu, as Vibrações da alma, as Vibrações do Espírito, as Vibrações do núcleo central da Terra, assim como a Vibração da ionosfera, manifestando-se nesse corpo, e traduzindo uma revolução e uma mudança completa de paradigma de suas vidas.

É a isso que vocês têm que enfrentar, não para lutar ou se opor, mas, bem mais, para ancorar, ainda mais, a Luz, irradiar a Graça, manifestar a Graça e a Consciência da Comunhão.
Só assim para extrair-se e se remover dos últimos medos, inscritos, de maneira indelével, em meio à personalidade, quaisquer que eles sejam.
Qualquer que seja sua etapa de adiantamento no desdobramento da Luz Una e Unitária, cada um de vocês deve desvencilhar-se, completamente, de seus últimos apegos, quaisquer que sejam.

E isso deve ser vivenciado em consciência, a fim de liberá-los, aqui mesmo, de tudo o que pode representar uma síndrome de luto, qualquer que seja, no momento vindo, quando a coletividade humana deverá enfrentar a chegada total da Luz na superfície deste mundo, revelando-lhes a nova banda de frequências de Vida e chamando-os a estabelecer-se na nova Vida.

Isso está em andamento, de maneira individual, mas chegará um instante e um momento, notáveis entre todos, permitindo à coletividade (em seu conjunto, humano e não humano) tomar consciência da Verdade da Luz.
Esse mecanismo, que vocês não têm que conhecer a data porque, como Ele lhes disse: “Ele virá como um assaltador na noite”.

A Luz Cristo chegará a um dado momento específico desta época da humanidade, em tempos extremamente curtos em termos terrestres, que lhes cabe não preparar por qualquer antecipação do que quer que seja, mas bem mais por uma atitude interior justa e totalmente Unificada de sua Consciência, fazendo-os aceitar ver e olhar seus próprios limites, seus próprios medos, a fim de se apreender de que vocês não são nem esses limites, nem esses medos e de que a única maneira possível e concebível de transcender isso é aceitar a passagem da Porta Estreita, sua própria Crucificação e dizer, como o Cristo: “Pai, eu entrego meu Espírito em tuas mãos, porque tudo está consumado”.

Naquele momento, sua alma irá se voltar, na totalidade, para a Vibração do Espírito Unitário, a Vibração do Pai ou da Fonte, em vocês.
Naquele momento, vocês irão ascender ao estado da Unidade, em sua maior Graça e em sua maior magnificência.
Tudo ainda não estará terminado, mesmo se tudo está consumado.

Restar-lhes-á tomar um dado caminho, durante certo período extremamente específico, permitindo ao conjunto dos Despertos, onde quer que eles estejam sobre esta Terra, receber o complemento dos códigos Vibratórios que possibilitam gerar a nova Vida, qualquer que seja sua Dimensão de destino (em todo caso, em meio aos Mundos Unificados).

É durante este período que o conjunto dos seus Irmãos e das suas Irmãs, como lhes pediu Maria e como lhes pediu Miguel, terão necessidade do seu Amor, da sua Luz e do seu Serviço.
Vocês não têm que decidir ajudar tal ou tal (onde que ele esteja sobre a Terra), mas, bem mais, comungar esta Graça ao redor de vocês, provocar um ímpeto de Graça, por sua simples Presença amorosa, alinhado no Coração em meio à Vibração do Espírito.
Deste modo, vocês irão trabalhar, em sua última tarefa nesta Dimensão que termina, agora, rápido.

Os sinais, como Miguel lhes disse, serão inumeráveis, em seus Céus, mas, da mesma forma, em seus corpos.
O aumento dos Sons do Céu e da Terra, assim como do Som da alma e do Espírito, perceptíveis por muitos de vocês, é doravante o sinal dizendo-lhes para preparar-se para viver o que é para viver, para estabelecer, de maneira coletiva, a nova Consciência.

A preparação é agora, ela não tem utilidade para amanhã ou depois de amanhã.
Ela os chama para abandonar-se à Luz, para fundir-se na Unidade, para fundir-se na Graça, na Merkabah Interdimensional coletiva, para reunificar-se uns com os outros, na Paz, no Amor e na Unidade.

É nesses tempos conturbados (no sentido da personalidade individual como coletiva) que vocês deverão mostrar e demonstrar sua capacidade para viver na Luz.
Permitindo-lhes, por suas passagens da consciência atual à Consciência nova, entrar, cada vez mais, nos domínios da Graça, nos domínios da Alegria, nos domínios da Unidade e nos domínios da Fraternidade verdadeira.

O que quer que lhes apareça, em meio à Visão correta (seja etérea, seja a visão do Coração ou qualquer outra visão ligada ao acesso à Unidade), isso deve permitir-lhes permanecer estável (o que quer que lhes seja revelado, ao que quer isso se refira, em suas vidas).
Quaisquer que sejam as pessoas acusadas pela Visão correta, vocês não têm que reagir, nem que condenar, mas, simplesmente, Ser e irradiar, na Luz da Unidade, a Presença e a Graça.

Porque é graças a esta Presença e a esta Graça que vocês poderão permitir estabelecer a Comunhão e se liberar, justamente, do que foram denominados os últimos medos coletivos, associados à coletividade humana.

Passar deste estado da consciência atual para a Consciência nova, com essas idas e vindas, é seu último desafio para realizar e para conscientizar neste mundo, a fim de viver a Liberação total da humanidade, nos tempos extremamente curtos em termos humanos.
É durante este período que vocês serão mais solicitados, lembrando, assim, das palavras de Cristo: “àquele a quem muito foi dado, muito será pedido”.
E o que lhes é pedido é para tornar-se Transparente à Luz, para estabelecer-se cada vez mais nos quatro Pilares do Coração, a fim de que a Luz trabalhe e atue, através de sua simples Presença sobre esta Terra, sem qualquer ação de vontade, sem qualquer determinismo e sem qualquer ação da personalidade, em vocês.

É nesta condição que vocês irão se tornar a Consciência Luminosa da Unidade, que o corpo de Estado de Ser irá se revelar a vocês, em sua totalidade, em sua Vibração, em sua Alegria, em seu Fogo, permitindo-lhes, de forma antecipada e individual, preparar a vinda do mecanismo coletivo chamado de Transcendência da humanidade.
As Núpcias estão irremediavelmente engrenadas.

Elas se traduzem, em suas vidas, pela aceleração de certo número de processos, também Vibratórios, que refletem os ajustamentos finais a realizar, em suas vidas, permitindo-lhes estar ao mais próximo da Graça, ao mais próximo da Unidade e ao mais próximo da Verdade.

É durante este período que lhes cabe não buscar compreender, que lhes cabe não buscar exteriorizar qualquer reação, mas sim deixar-se regar na Luz Una, na Luz da Graça, na Luz da Verdade.
É a única maneira que lhes é possível de tornar-se Transparente e de manifestar esta Transparência.
Isso pede, de sua parte, uma Humildade e uma Simplicidade a toda prova.
Isso pede, de sua parte, uma aquiescência à sua própria Crucificação, levando-os às vezes a tomar consciência das ilusões nas quais vocês estavam ainda apegados, neste mundo, tendo participado, contudo, de uma vida qualificada de consciência ordinária e normal, enquanto a Liberação não tinha chegado.

Alguns de vocês, entre os Despertos, sendo contatados pela Luz, irão desviar seu olhar e sua consciência da Luz.
Em nenhum momento vocês devem julgar isso.
Lembrem-se de que a liberdade é absoluta de cada um de seus Irmãos e de suas Irmãs humanos, qualquer que seja seu caminho até agora.

A pior das personagens poderá tornar-se a mais santa das personagens.
A mais santa das personagens na tomada poderá desistir de tornar-se santa.
Isso faz parte dos ajustes finais da Luz, que lhes convêm não julgar, que lhes convêm não condenar, mas simplesmente aquiescer e aceitar ver, face a face (que isso se refira, ao redor de vocês, próximo ou menos próximo).

Lembrem-se de que a Luz confere a Liberdade de aceitá-la, ou de se desviar.
A Lei da Unidade, e os Filhos do Um, podem apenas aceitar esta Lei da Graça, esta lei de liberdade absoluta de toda consciência.
É, para vocês, a única maneira de renunciar à Ilusão deste mundo.

É, para vocês, a única maneira de renunciar a todo poder sobre alguém, a fim de manifestar seu próprio poder.
Aquele de sua mestria de Luz, a fim de passar a Filhos da Lei do Um, aos Mestres da Luz do Um.
Dessa maneira, vocês irão realizar e finalizar sua Ascensão, em meio mesmo a esta Dimensão.
Gradualmente e à medida de sua Transparência, vocês irão constatar que, na Verdade, vocês tornar-se-ão Transparente para aqueles que decidiram permanecer nas densidades baixas.

Aí tampouco, vocês nada têm a pedir, vocês nada têm a julgar, vocês nada têm a pressionar, mas simplesmente aquiescer à Liberdade de cada consciência.
A sobreposição desta Dimensão com a nova Dimensão ou, se vocês preferirem, da consciência atual com a Consciência nova, será realizada, agora, de maneira individual, de maneira cada vez mais evidente, mas também de maneira gradual e, aí também, cada vez mais evidente para o conjunto da humanidade, pouco antes da Estrela que anuncia a Estrela.

Pouco antes das últimas perturbações deste planeta, traduzindo-se pelo acesso à Unidade, à etereação do planeta, à sacralização do planeta e pelo retorno à sua Liberdade e à sua Unidade.

É durante este período, crucial e final, este momento decisivo, que nós contamos com o conjunto da humanidade (Desperta à Unidade ou não Desperta à Unidade) para decidir e aquiescer á Luz.
Porque ninguém poderá extrair-se, ninguém poderá evitar viver as Núpcias da Luz, qualquer que seja seu futuro subsequente.

As Núpcias de Luz serão oferecidas a qualquer consciência, mesmo, no momento, a mais afastada da Luz, a fim de marcar cada consciência com seu selo da Liberação possível e do retorno à Unidade, possível a cada instante.
Nós lhes agradecemos, em nome do Conclave, por terem trabalhado para ancorar a Luz Una, por terem despertado suas Lâmpadas (seus chakras), por terem acendido suas Coroas e por terem despertado, para aqueles de vocês que o realizaram, sua Kundalini chamada de Canal do Éter.

Resta agora terminar a obra de sua Unificação, tanto a título individual como coletivo.
Lembrem-se de que, durante este período, a única coisa que lhes é pedida é manifestar o estado de Ser correspondente à Graça, o estado de Ser correspondente à sua própria Presença, sem nada dirigir, sem nada comandar e sem nada pedir além do estabelecimento da Luz, em vocês.
É durante este período que lhes é demonstrado (e que lhes será pedido para demonstrar) que a Inteligência da Luz está trabalhando, em vocês como neste mundo, a fim de dissolver, de maneira definitiva, as últimas Sombras, em vocês como neste mundo da superfície.

O conjunto dos seus Irmãos intraterrestres, através de sua reunião geodésica das vinte e quatro Consciências Unificadas, terminou agora seu trabalho e deixa o núcleo da Terra agir livremente, a fim de restabelecer as grades magnéticas, à sua origem, sobre a Terra, permitindo à Terra sua expansão final, ao nível de sua etereação, ao nível de suas mudanças de forma, de suas mudanças de continentes, de massas hídricas, assim como do seu basculamento dos pólos, agora engrenado.
Bem amados Filhos da Lei do Um, eis o anúncio formal que eu lhes transmito, em nome do Conclave Arcangélico, neste dia bem preciso.

Eu permaneço, agora, é claro, presente entre vocês, não somente para o seu alinhamento cotidiano, mas, sobretudo, e nós temos tempo, para responder à sua pergunta final referente ao processo de Passagem da consciência atual à Consciência nova, a título individual como a título coletivo.
Bem amados Filhos da lei do Um, eu lhes agradeço por sua escuta, eu lhes agradeço pela Graça da sua Presença e eu estou, agora, à sua escuta.

Pergunta: eu gostaria de agradecer-lhe por minha vez, simplesmente.



A Comunhão é um agradecimento dirigido à Fonte, à Unidade e ao Amor, pela Graça da Luz.
Que assim seja e assim é.


Pergunta: os protocolos, dados por você ou por outros intervenientes, são sempre úteis?


Bem amada, isso pode sê-lo.
Tudo depende, para cada um, da localização de sua consciência onde vocês estão.
É, evidentemente, permitido utilizar tudo o que nós fornecemos (em particular, os Anciãos e as Estrelas) referente às diferentes técnicas, se o podemos assim chamar, permitindo-lhes aproximar-se de sua própria Unidade.
O que lhes é pedido, simplesmente, hoje, é para apreender-se de que a Luz é onipresente: ela está aí.
Resta simplesmente conscientizá-la e isso se faz, de modo muito simples, desde o instante em que vocês mesmos penetram, da maneira a mais simples, o Caminho da Infância e sua própria Simplicidade.
A partir deste instante, vocês não terão mais necessidade de qualquer exercício, de qualquer técnica e de qualquer Alinhamento porque vocês estarão alinhados, permanentemente, na Graça e na Luz.
Mas não é proibido, nem desaconselhado, utilizar os meios que vocês julgarem bons para aproximá-los desta Graça.


Pergunta: poderia especificar o que vocês denominam: comungar com os outros e com a Merkabah Interdimensional coletiva?


Bem amada, as especificações que eu darei são extremamente simples.
Vocês saberão que vocês comungaram quando vocês viverem a Graça desta dita Comunhão.
Porque a Comunhão é uma Graça.
Não é uma decisão, intelectual ou mental, que vai fazê-los dizer: “eu vou comungar com tal consciência”.
É simplesmente a abertura à Consciência nova, o Alinhamento à Merkabah Interdimensional coletiva que permite, pela aquisição do canal Mariano, à sua esquerda, realizar esta Graça de Comunhão.
Não é então um protocolo ou um exercício, mas, simplesmente, durante seus períodos de Alinhamento (que eles sejam coletivos às 19 horas (hora francesa) ou durante seus espaços interiorizados), emitir, apenas por alguns segundos, um ato de Graça e de Comunhão, mas sem qualquer vontade.
Seja para o conjunto da Terra, seja eventualmente para uma consciência que teria feito o pedido consciente, seja para uma consciência que vocês não conhecem, ou que vocês conhecem, mas que não fez o pedido.
Porque, naquele momento, não se trata de uma violação da Liberdade, mas se trata, simplesmente, de uma proposição da Luz, sem nada pedir ao outro.
Se o contato da Graça da Comunhão ocorre, então, vocês o saberão instantaneamente, pelo Fogo do Coração.
Se isso não ocorre, então, mudem de parceiro ou, se vocês preferirem, mudem de alvo, enquanto sabendo que esta noção de alvo não é qualquer ação de sua vontade de fazer o que quer que seja, para o outro ou no outro.
Não é questão de violação da Liberdade individual, mas, bem mais, de uma Graça que vocês propõem a qualquer consciência.
Aquela, é claro, é livre para aceitá-la ou para recusá-la.
Do mesmo modo que, desde alguns anos, bem antes das Núpcias Celestes, as descidas de Luz foram acolhidas por um número sempre maior de seres humanos, sem, no entanto, saber, por eles mesmos, que isso correspondia à Luz.
A percepção Vibratória que chegou, a um dado momento, fortaleceu-os no estabelecimento desta Luz, desta transformação, neles mesmos.
Hoje, a transformação (concluída para vários de vocês) leva-os a poder viver esta Comunhão, a poder viver esta Graça, a propor, sem se indispor.
É, então, apenas um ato de consciência, sem envolvimento com qualquer exercício, qualquer ritual, qualquer projeção, mas simplesmente um pedido, à Luz, para estabelecer a Graça, sem se ocupar do resultado.
Mas, se resultado houver, vocês o sentirão instantaneamente, por um estado de Comunhão de Coração a Coração.
Do Coração do Um ao Coração de Todos, e do Coração de Todos ao Coração do Um.


Pergunta: a utilização de cristais é ainda útil hoje?


Bem amado, não é possível responder, de maneira global, a esta pergunta.
Cada consciência é profundamente diferente em seu Despertar à Luz.
Alguns, ainda uma vez, vivem a Graça sem mesmo ter pedido o que quer que seja.
E outros perseveram em certo número de elementos de busca, sem viver a Graça.
Cada ser humano é diferente.
A Graça apenas se vive quando os quatro Pilares do Coração estão instalados: Humildade, Simplicidade, Transparência e Pobreza.
Ninguém pode penetrar o Reino dos Céus se não se torna como uma criança.
Todo conhecimento esotérico, todo conhecimento (no sentido oculto) é apenas uma projeção da consciência, em meio a esse mundo exteriorizado, e de modo algum uma interiorização da consciência.
Isso lhes foi falado, desde já alguns anos, pelo Arcanjo Jofiel, e confirmado por vários Anciãos: ninguém pode penetrar o Reino dos Céus pelo conhecimento porque o Conhecimento é Interior.
Todo conhecimento exterior é apenas uma projeção exteriorizada da consciência e jamais conduzirá à Luz e jamais à Unidade.
Ele os afasta, cada vez mais.
Os primeiros serão os últimos.
Os últimos serão os primeiros.
Felizes os simples de Espírito, o Reino dos Céus a eles pertence.


Pergunta: a abnegação de si, no passado, pode bloquear o acesso à Infância e à Simplicidade?


Não há qualquer obstáculo de idade, de karma, de passado ou de futuro.
A luz da Graça é onipresente, doravante, sobre este mundo.
Todos, com o pior dos passados, podem tornar-se um santo, como eu disse.
Os únicos obstáculos situam-se ao nível da consciência limitada ou atual, que tende a fazê-los crer que vocês são devedores de um erro do passado, ou devedores de um defeito, qualquer que seja, o que, evidentemente, é totalmente falso.


Pergunta: como você define a Pobreza?


Bem amada, a Pobreza é sinônimo de Infância.
É aquele que aceita se dispor de todas as ferramentas da personalidade e de todos os conhecimentos intelectuais, quaisquer que sejam, a fim de tornar-se de novo como uma criança.
Essa é a verdadeira Pobreza, nada tendo a ver com qualquer estado financeiro ou econômico.


Pergunta: como fazer, concretamente?


Abandonar-se à Luz.
Abandonar-se, si mesmo.
Aceitar morrer, em meio à personalidade.
Aceitar nada mais ser, para ser Tudo.
Vocês não podem ser Tudo, no Céu, e tudo, aqui.
Lembrem-se de Cristo.
Lembrem-se de alguns Anciãos que lhes falaram, de maneira perfeita.
Todos eles lhes disseram, aqueles que se expressaram, ou aqueles que lhes deixaram testemunho: “o que eu faço, vocês o farão e bem maior ainda”, “o que eu faço, eu o faço porque eu sou o menor dentre vocês, neste mundo”, “meu Reino não é deste mundo”.
Enquanto existe, em vocês, uma vontade persistindo neste mundo, vocês não são pobres.
“Ninguém pode servir dois mestres ao mesmo tempo”.
É a isso, a esta Graça, que vem confrontá-los a Luz, em seu desdobramento total sobre a humanidade.
O que vocês querem ser?
Esta personalidade limitada?
Este corpo limitado?
Ou vocês querem ser a Totalidade?
Mas isso não pode ser um e outro.
Isso é um ou outro.
Nesse sentido haverá ranger de dentes.
Todos os partidários da perpetuação da Ilusão, todos os partidários da adesão ao aperfeiçoamento da personalidade, todos os partidários da espiritualidade da alma (e não do Espírito) irão ranger os dentes no momento em que a Luz se revelar.
Esse ranger de dentes é apenas a distância que cada consciência colocou entre ela e a Luz.
O conjunto do que eu pude exprimir, desde alguns anos, referentes ao Abandono à Luz, o conjunto dos ensinamentos transmitidos pelas Estrelas e pelos Anciãos, foi, em última análise, apenas destinado a prepará-los a essas Núpcias de Luz.
A passagem da Porta Estreita, a noite escura da alma (tal como foi expressa, desde alguns meses), é a estrita verdade do que vocês têm, agora, para viver.
A Luz é um Fogo devorador.
O Fogo do Espírito os chama ao Espírito.
Mas, para viver o Espírito, não pode existir a menor personalidade, o menor confinamento, o menor medo.
Tudo deve ser Abandonado e Crucificado, para o Espírito.
Vocês não podem viver e vocês não poderão viver os dois ao mesmo tempo.
Será ou um, ou outro.
E deste momento, deste reencontro final da Luz coletiva com sua luz individual, resultará a frase que nós lhes demos: “ser-lhes-á feito muito exatamente segundo sua Vibração”.
Naquele momento específico, alguns, sem qualquer preparação, passarão a Porta Estreita.
Alguns, apesar de sua preparação, não passarão a Porta Estreita porque não é uma questão de trabalho, não é uma questão de ancianidade, mas sim uma questão de Transparência e de Clareza Interior.
Cada ser irá, muito precisamente, aí onde porta sua Vibração.
Vocês se tornam cocriador de sua realidade, de sua Verdade e de seu estado Dimensional.
Compreendam bem que a Luz, como nós lhes dissemos, jamais irá julgar seu caminho e seu destino, nesse processo de passagem da consciência atual para a Consciência nova, ao nível do conjunto coletivo da Terra.
Vocês o veem bem ao redor de vocês.
Por toda parte sobre este planeta, pelo pouco que vocês se voltam para o que acontece, real e concretamente, vários povos, ajudados ou não, desejaram as mudanças.
Vários povos não querem a mudança.
Sempre foi assim, mesmo em meio à Ilusão deste mundo.
Toda a questão está aí: “o que vocês desejam ser?”.
Mas vocês não podem ser a Luz, e ser a personalidade.
A personalidade deve ser transmutada, pela Graça da Luz, e na totalidade.
Porque a personalidade é apenas mantida pela pré-existência do medo, inscrito em suas estruturas e absolutamente não pelo Espírito.


Pergunta: isso significa que para atingir este estado, é melhor nada fazer?


Bem amado, essas são exatamente as palavras que tenho empregado.
Não se pode fazer e Ser.
Agora, busquem o Reino dos Céus e o resto ser-lhes-á dado de acréscimo.
Vocês não podem fazer e Ser.
Mas, por outro lado, vocês podem Ser e fazer, depois.


Pergunta: enquanto Arcanjo, você tem realmente o que nós chamamos de asas?


Bem amada, o deslocamento interdimensional ocorre sem qualquer asa.
Mas a estrutura dos corpos de Estado de Ser, sem qualquer exceção, compreende essas estruturas chamadas de asas.
Mas o que vocês denominam asas (para voar, em meio a este mundo, como os pássaros) não é compatível com a Vibração das asas.
As asas não permitem o deslocamento.
Elas são simplesmente um meio Vibratório que não está associado a uma velocidade ou a um deslocamento, mas mais a uma mudança Dimensional, instantânea.
Os braços e as mãos não são de qualquer utilidade, além da 5ª Dimensão.
Nós não temos que segurar nada porque tudo nos é oferecido.


Pergunta: é possível enquanto ser humano, sentir a presença de asas imensas?


Mas, bem amada, é a estrita verdade.
A abertura da porta Ki-Ris-Ti das costas se acompanha do desenvolvimento de asas etéreas, para tudo ser humano aberto, sem qualquer exceção.


Pergunta: poderia desenvolver sobre a Transparência?


Bem amada, a Transparência é uma qualidade Vibratória da consciência que consiste em nada parar, em nada reagir, mas em se deixar atravessar.
Nos mecanismos da Transparência, o impulso de Cristo é predominante.
Ele os conduz a viver esta Transparência, assegurando que a Fluidez da Unidade se estabeleça, que as sincronias da vida sejam instantâneas.
Nada pode ser parado pela personalidade que é transcendida pela Transparência.
Nenhum obstáculo, nenhuma doença, nenhuma conflito pode ser parado: apenas atravessa.
Porque, naquele momento, a Consciência vive a Unidade e não pode ser identificada a qualquer problemática, a qualquer sofrimento, a qualquer doença e a qualquer problema.


Pergunta: o que você denomina a possibilidade de fazer, somente após Ser?


Bem amada, o fazer do ser humano, em meio à personalidade, é um conjunto e uma sequência de ações / reações.
Vocês trabalham para ter dinheiro.
Vocês têm dinheiro para comprar o que comer.
Vocês têm dinheiro para morar e nós poderíamos multiplicar este exemplo ao infinito.
Então vocês fazem, para ter.
Por outro lado, a partir do instante em que vocês estabelecem no Ser, e não mais no fazer, nada os impede de fazer, mas as condições nas quais vocês fazem não são as mesmas que anteriormente.
Vocês não fazem mais, para ter, mas vocês fazem para Ser, ainda mais e, naquele momento, as Graças e a abundância são o marcador da sua vida.
Não pode mais existir qualquer falta, qualquer insuficiência e qualquer provação.
Porque a Luz é abundância, a partir do momento em que vocês são si mesmo a Luz.
E é esta abundância de Luz e do Espírito que lhes permite viver com a maior das serenidades, e de maneira a mais ágil possível, a Crucificação, a fim de renascer totalmente na nova Consciência.


Pergunta: por que dizemos que Maria está no Antakarana, à esquerda?


Bem amada, o canal Mariano de comunicação está estabelecido no Antakarana, ou ponte de Luz unindo o corpo, a alma e o Espírito. Este Cordão Celeste é uma comunicação interdimensional. Esse canal Mariano (ou canal das Estrelas) está ligado à ativação da Coroa Radiante da cabeça, em sua totalidade. Ela se reflete por uma comunicação entre este Antakarana (oriundo do que é chamado de ampola de clariaudição), o ponto IM (ndr: da cabeça), o ponto Unidade (ndr: da cabeça) e o ponto Unidade, do peito.
Naquele momento, o canal Mariano está perfeitamente constituído, tornando-os permeáveis ao Apelo de Maria, no momento oportuno.
O que está constituído, em vocês, de maneira individual, está prestes a concluir-se, ao nível coletivo.
Isso corresponde à perfuração dos três envelopes isolantes deste sistema solar, tendo inicialmente dissolvido o astral coletivo, o mental coletivo que está em andamento e a esfera causal coletiva.
O canal Mariano é o mesmo canal, sensivelmente, por onde pode manifestar-se o Anjo Guardião, sobre o ombro esquerdo.
Isso se reflete, para aqueles de vocês que estão Despertos, ao nível das duas Coroas Radiantes do Coração e da cabeça, pela modificação, muito nítida, dos sons percebidos nos ouvidos.


Pergunta: podemos ter vivido a passagem da Porta Estreita após um período de desesperança durante o qual estávamos abandonados a “Deus”?


Esse foi o caso para algumas almas, em certos momentos.
Mas é preciso diferenciar a Passagem da Porta Estreita, pela primeira vez, e a Passagem da Porta Estreita, pela terceira vez onde aí, a consciência está estabelecida, para sempre, em meio ao que é chamado de Consciência Turiya ou Consciência nova.
A passagem de que falo não é a primeira Passagem, não é o primeiro Guardião, mas é o estabelecimento da consciência, de maneira definitiva, em meio à Unidade.
E isso não pode levar a questionamento porque a personalidade, a alma e o Espírito, que vivem isso, estão estabelecidos, com certeza absoluta, em sua Unidade.


Pergunta: uma pessoa que aceita sua morte física faz a passagem da Porta Estreita?


Bem amado, aceitar a morte não quer dizer aceitar a Unidade.
As almas que viveram a Passagem da morte (e então perderam esse corpo desde alguns anos) estão, eu diria, em transição, aguardando, elas também, à sua maneira e em sua esfera, o retorno da Luz.
Porque é apenas durante o retorno da Luz, coletivo, que a Crucificação ocorre, a título coletivo.
As condições da morte habitual do ser humano, no final da vida, nada têm a ver com o acesso à Unidade.
Principalmente agora.
Tudo vai depender, para essas almas privadas do corpo, do que elas irão decidir durante o retorno do Espírito Cristo.
Toda a humanidade será liberada, morta ou não morta, no momento vindo.
Mas, ainda uma vez, o destino de cada consciência depende unicamente do estado Vibratório (para vocês, aqui) desse corpo e de sua consciência.
E para aqueles que estão privados do corpo, do estado Vibratório da alma.


Pergunta: as transformações da Terra vão ser vividas, por ressonância, em nosso corpo?


Vocês vivem-nas já, para alguns de vocês.
A última passagem é a Crucificação total, o banho de Luz final da humanidade, chamado, de maneira humorística pelo Comandante dos Anciãos, de planeta grelha.
Tudo o que vocês vivenciaram e irão viver, até aquele momento, terá sido e será apenas uma preparação para viver este instante final.
Compreendam bem que é como se vocês me perguntassem, enquanto ser humano tendo que passar pelas portas comuns da morte, se vocês iriam levar seu corpo na morte.
O que eu poderia lhes responder?
O problema e o hiato enorme da personalidade é que ela é efêmera e se crê imortal.
E enquanto vocês estão no efêmero, vocês não podem penetrar sua imortalidade.
O que é imortal, não é a personalidade.
O que é imortal, não é esse corpo.
O que é imortal, não é a alma.
O que é imortal é o Espírito e somente o Espírito, correspondendo não a esse corpo físico, não à alma, mas ao que é denominado corpo de Estado de Ser.
Vocês não podem, como dizia o Comandante, ser e permanecer uma lagarta com asas de borboleta: isso não existe.
Vocês são ou uma lagarta, ou uma borboleta, e no momento oportuno será preciso realizá-lo: tornar-se seu próprio criador de sua própria realidade.
Isso não é uma invenção da imaginação, mas um mecanismo atingindo a totalidade da sua carne, do seu corpo e da sua alma.
Lembrem-se do que lhes disseram vários místicos (entre os Anciãos ou independentemente dos Anciãos).
Lembrem-se do que lhes disseram as Estrelas: tudo o que vocês acreditam ser verdadeiro é uma ilusão.
A personalidade, o corpo no qual vocês estão, é o Templo onde se realiza a transformação.
Mas se há transformação da lagarta em borboleta, isso quer dizer que a lagarta é efêmera.
Enquanto que a borboleta espiritual, ela, é imortal.
Mas lhes é preciso deixar um estado para viver outro estado.
E quando eu digo que lhes é preciso deixar, isso não é vocês que deixam, é a Luz que, por sua vez, irá dissolver a totalidade da Ilusão deste mundo.
E, dependendo do ‘ponto de vista’ (como foi dito pelo Comandante, se seu ponto de vista é aquele da lagarta, se seu ponto de vista é aquele da borboleta), vocês irão chamar isso de drama ou de Ressurreição.


Pergunta: as coisas serão mais fáceis para aqueles que estão mortos e não têm mais o corpo?


Absolutamente não.
Algumas almas que estão mortas ao nível de seu corpo têm apenas um anseio, que é o de retomar um corpo neste mundo de carbono.
Não é preciso acreditar que toda consciência queira retornar à Liberdade.
Toda consciência aspira a um pouco de liberdade, enquanto permanecendo na prisão.
Porque o desconhecido dá medo e o medo está inscrito no corpo como na alma.


Pergunta: se não há passado nem futuro...


Bem amada, isso não é verdadeiro no mundo onde vocês estão.


Pergunta: ...você tem a possibilidade de ver o futuro de cada um?


Ao nível do futuro de cada consciência, até o limite extremo, a liberdade é total.
Vocês não podem sobrepor e adequar o tempo que vocês vivem aqui, sobre esta Terra, aos tempos Unificados.
Não pode ali haver sobreposição, exceto, como nós lhes dissemos e especificamos, desde pouco tempo, na aproximação de um calendário humano e de um calendário astronômico em ressonância com as datas denominadas tampão, correspondendo a ciclos.
Mas isso se refere ao coletivo e não ao individual.


Pergunta: o que você poderia dizer a alguém que começa neste caminho?


Que não há nada a buscar.
Que hoje, tudo está presente, em você.
Que não há nada a compreender.
Que não há nada a praticar.
Que não há nada a procurar.
Há apenas que Ser.
E Ser significa: não mais existir no passado, não mais existir no futuro, e colocar toda a Consciência, a Atenção e a Intenção no instante presente.
Se você chega a fazer isso, no espaço de uma respiração, você irá realizar a Unidade, muito mais facilmente do que aqueles que buscam há anos.
Assim é o princípio da Graça porque não há nada a buscar que já não esteja.
Nenhum mundo, mesmo falsificado, poderia existir sem Luz e sem suporte de Luz.
Qualquer que seja o grau de abafamento da Luz ou de falsificação, através do eixo da falsificação, a título individual ou coletivo (ndr: o eixo das Estrelas ATRAÇÃO / VISÃO), a Luz sempre esteve aí.
Mas, hoje, ela está em abundância e, então, é muito mais fácil, em escala coletiva como individual, realizar a Unidade ou realizar o Si ou a Consciência Turiya ou o Samadhi ou a Consciência nova.
Dito de outra forma: você é o Si.


Nós não temos mais perguntas, nós lhe agradecemos.


Bem amados Filhos da Luz, comunguemos e rendamos Graças, juntos, em Unidade de consciência.
E eu retornarei, dentro de alguns instantes, para comungar, de novo, em meio ao Alinhamento à Merkabah e à Luz Una, na Graça do Um, na Paz do Amor e na Vibração da Luz Una.


... Efusão Vibratória ...


Mensagem do Bem Amado ARCANJO ANAEL no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1239
24 de outubro de 2011 (Publicado em 26 de outubro de 2011)
Tradução para o português: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com

--------------------------------------------------------------------------------

Mensagem Publicada no site: www.mestresascensos.com

PEQUENO GLOSSÁRIO - COLETÂNEA



Nota André: Encontrei esta pérola de glossário no blog amigo portaldosanjos.ning.com.
Esse glossário contem termos que pode facilitar a compreensão para as pessoas que estão chegando por aqui, e estão pegando o "bonde andando".

--------------------------------------------------------------------------------

ABANDONO - O abandono à Luz, ou toda forma de abandono, é uma doação de si transcendendo o medo.
(ARCANJO ANAEL – 16.09.2010); o Abandono é uma doação de si à Luz. (RAM - 04.12.2010); o Abandono à Luz é fazer a vontade do Pai. (OMRAAM (Aïvanhov) - 14.07.2010)

ANTAKARANA – Ponte de Luz unindo o princípio inferior ao princípio espiritual e divino; permite estabelecer o contato (por meio de 12 tubos/raios de Luz) com o corpo de Estado de Ser; são em número de dois, existentes lateralmente em relação às orelhas e subindo nos planos sutis os mais elevados, até o Sol; também denominado Cordões Celestes, Cordão de Cristal. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010); ponte de Luz unindo o corpo, a alma e o Espírito. (ARCANJO ANAEL - 24.10.2011).

ANTIMATÉRIA – Luz, Vida. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

ARCO ELÉTRICO – Ponte de Luz interdimensional, agora permanente, por onde se vertem as energias de liberação da Terra, desde o Sol, através dos corpos de Estado de Ser. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

ATENÇÃO - A Atenção diz que, ao nível da Consciência, aquilo a que vocês prestam Atenção se manifesta, ilustrando o ‘princípio de atração’, bem além da ‘lei de ação e de reação’ existente nos multiuniversos e nas multidimensões. Aquilo para o que vocês prestam Atenção se torna real. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

BINDU – uma das partes do corpo que permite a reunificação com a Luz; também denominado Fonte de Cristal. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

CANAL DO ÉTER - corresponde a uma parte do que era chamado antigamente (antes da adição de Partículas Adamantinas) de Canal Mediano da coluna vertebral, ou Sushumna. (IRMÃO K – 22.08.2011)

CANAL MARIANO – Canal de Maria ou das Estrelas, refere-se ao Antakarana esquerdo (correspondendo ao Cordão Celeste ou ao contato estabelecido com o Espírito) que possibilita a manifestação de Espíritos pertencentes à Unidade, em seu próprio Espírito, ou seja, mesmo em sua Dimensão, traduzindo-se por um conjunto de sinais e sintomas que podem aparecer do lado esquerdo do seu corpo, na parte alta: como afagos, como vozes, como sons que se modificam, de maneira extremamente importante, neste momento. (UM AMIGO – 24.09.2011)

COGNIÇÃO – aquisição de conhecimento procedente de um conjunto de fatos, situando-se em sua Ilusão passada, perpetuando-se na Ilusão presente, adaptando seus comportamentos a um conjunto de engramas presentes em seu cérebro comportamental (cérebro reptiliano). (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

CORDÃO CELESTE – Ponte de Luz unindo o princípio inferior ao princípio espiritual e divino; permite estabelecer o contato (por meio de 12 tubos/raios de Luz) com o corpo de Estado de Ser; são em número de dois, existentes lateralmente em relação às orelhas e subindo nos planos sutis os mais elevados, até o Sol; também denominado Antakarana, Cordão de Cristal. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

CORPO DE ESTADO DE SER – estrutura (veículo) que se situa fora desta Dimensão (no Sol) e que, no entanto, é chamada a entrar em contato com esta Dimensão; também denominado corpo de Ressurreição, corpo de Existência, corpo de Eternidade. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

DESEJO – necessidade de satisfação de uma antecipação do mental, chamada de emoção, é o elemento que os afasta mais do Agora, porque o desejo é sempre voltado para o futuro. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

DEUS e DIABO – uma mesma entidade que falsifica e que os inunda de julgamentos de valor, de julgamentos morais, de julgamentos mentais, impedindo, literalmente, o acesso à sua Unidade, o acesso ao Aqui e Agora. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

EGRÉGORA - A adesão das multidões, a adesão das atenções de um número enorme de consciências sobre um mesmo fato, criando literalmente uma aspiração da Energia e da Consciência para esse fato. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

ESSENCIAL - a identificação da Vibração do Coração (com rotação do chakra cardíaco), do Fogo e do alinhamento de suas Lareiras. (OMRAAM (Aïvanhov) – 27.06.2010)




ESTRELAS (da cabeça):

pontos de frequência em número de 12 (AL, Repulsão, Atração, Clareza, IM, Unidade, Ki-Ris-Ti, Visão, OD, Precisão, IS e Profundez), dispostos em 4 Triângulos (Fogo, Ar, Terra e Água) em cada lateral da cabeça; uma Estrela suficientemente ativada torna-se uma Porta; seu nome é conservado, porque a Vibração é idêntica, mas passa de uma oitava a uma outra: da focalização (ao nível da cabeça) ao desdobramento (ao nível do corpo). (IRMÃO K - 22.08.2011)

ETERNIDADE – retorno definitivo à Divindade, à Unidade.

ÉTICA – A Ética os remete diretamente ao Mistério, quer dizer, ao que vocês são em Verdade, ao que vocês são em seu caminho Unitário, à Verdade de seu Ser profundo que é Amor, Verdade, Unidade e Luz. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)


ESTADO DE SER – estado interior de Ser dentro do Ser, testemunhado por Alegria interior sem objeto; também denominado Existência.

FOGO – Iniciação, Amor. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

FONTE DE CRISTAL – uma das partes do corpo que permite a reunificação com a Luz; também denominado Bindu. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

INTEGRIDADE – inteireza que se reencontra ao se colocar ao centro da Cruz dos 4 elementos, a fim de estar centrado e alinhado. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

INTENÇÃO - A Intenção é a qualidade e a quantidade de vontade que vocês colocam, a quantidade de Consciência que vocês colocam, para levar sua Atenção sobre um fato, sobre um evento, sobre um sentimento ou sobre o que quer que seja fazendo sua Consciência. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

LEMNISCATA SAGRADA – estrutura que envolve os Novos Corpos Espirituais compreendendo as 5 Frequências Vibratórias Metatrônicas OD-ER-IM-IS-AL, e que permite fazer a junção entre a Coroa Radiante da cabeça e do Coração. (ARCANJO ANAEL - 06.08.2011)

LIBERDADE – o que permite o estabelecimento no Ser ou na Estado de Ser. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

LUZ VIBRAL – energia Supramental ou Fogo circulando no conjunto dos circuitos energéticos (chakras/lâmpadas). (UM AMIGO – 16.09.2010); suas 3 qualidades Vibratórias são: a Luz do Espírito Santo, a Radiação do Ultravioleta e a Irradiação d'A FONTE. (ARCANJO ANAEL - 06.08.2011)

MATRIZ – envoltório terrestre criado pelos Arcontes para separar a Fonte da experiência de vida na matéria, enredando e aprisionando as almas após deixar os corpos (mundo astral). (UM AMIGO – 25.09.2010)

MATRIZ CRISTALINA – local que guarda a memória da Vibração Unitária da Fonte. (UM AMIGO – 16.09.2010)

MENTAL – suas palavras mestres são ‘dúvida’ e ‘questionamento’. (ARCANJO ANAEL – 18.09.2010)

MERKABAH – veículo interdimensional individual, de estrutura geométrica complexa possuindo 144 faces. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

MERKABAH COLETIVA – estrutura arranjada de modo específico que permite subirmos numa embarcação (nave) ou no próprio corpo de Estado de Ser; são ilustradas pelo aparecimento de luzes nos céus, chamadas de Embarcações Mães ou de cápsulas de sobrevivência ou, ainda, de orbes. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)



NOVA TRI-UNIDADE:

Triângulo Sagrado do peito, envolvendo o chakra do Coração (MARIA), o chakra de enraizamento da alma (MIGUEL) e o chakra de enraizamento do Espírito (CRISTO).




NOVOS CORPOS ESPIRITUAIS:

novas frequências Vibratórias (novos chakras, novas Lâmpadas): 8o. Corpo (ponto OD, na ponta do esterno); 9o. Corpo (ponto ER no peito, localizado na saliência do esterno, entre o chakra de enraizamento da alma e o chakra de enraizamento do Espírito); 10o. Corpo (ponto IM, localizado à meia distância entre o pomo de Adão e o queixo); 11o. Corpo (ponto IS, acima do lábio superior da boca); 12o. Corpo (ponto AL, um pouco acima das asas nasais que formam as laterais da ponta do nariz).

ONDA GALÁCTICA – Luz sob forma de partículas adamantinas e, sobretudo, de raios gama e de raios X, vindos dos fins longínquos do universo e, em particular, de três fontes bem distintas; as irradiações-gama vindas de fontes luminosas de diferentes lugares deste universo têm por objetivo estabilizar as partículas adamantinas em sua estrutura. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

PILARES DA CONSCIÊNCIA (na cabeça) – ATENÇÃO (ponto AL), INTENÇÃO (ponto OD), ÉTICA (ponto IM) e INTEGRIDADE (ponto IS).

PILARES DO CORAÇÃO (no tórax) – TRANSPARÊNCIA (Porta Ki-Ris-Ti, nas costas), HUMILDADE (Porta UNIDADE, no peito), SIMPLICIDADE (Porta AL, no peito) e INFÂNCIA/POBREZA (Porta OD, no peito).



PORTAS (do corpo):

em número de 12, são Portais Interdimensionais que permitem levar à reconstituição do Corpo de Estado de Ser, idêntico, na forma de um holograma, àquele que estava, e que ainda está por algum tempo, ao nível do Sol, mas que está, entretanto, liberado, ao nível da capacidade para ressonância e para conexão. (IRMÃO K - 22.08.2011)

PRESENÇA - alinhamento da Consciência no Coração, manifestando-se pelo switch da Consciência e pela Vibração do Coração. (OMRAAM – 27.06.2010); o estado que os coloca ao centro de seus 4 Pilares, que faz dizer ao Cristo «Eu Sou o Alfa e o Ômega, o caminho e a Verdade» permitindo encontrar a vida e, sobretudo, o centro e o alinhamento. (ARCANJO ANAEL – 17.10.2010)

RESISTÊNCIA – um meio de perenidade e de manutenção da Vida num estado estável nesta Dimensão falsificada, mesmo a estabilidade não estando mais na ordem do dia. (ARCANJO RAFAEL – 04.05.2010)

SACRO – osso triangular situado na parte inferior da coluna vertebral onde estão localizadas as Portas Clareza, Repulsão, AQUI (Hic/IM) e AGORA (Nunc/IS), e onde se encontra uma energia específica denominada Kundalini. (ARCANJO ANAEL - 06.08.2011)

SAMADHI – abandono final da personalidade para o Estado de Ser; há vários níveis de Samadhi.(UM AMIGO - 16.09.2010)

TEMPLO INTERIOR – local de revelação do Espírito na forma (no corpo), no Coração. (UM AMIGO – 16.09.2010)

TUBOS DE LUZ – 12 Tubos / Raios de Luz que partem da cabeça e que se juntam ao veículo de Estado de Ser. (SRI AUROBINDO – 17.09.2010)

VIBRAÇÃO – energia Vibratória (matriz cristalina) presente em cada célula que permite ressoar (‘ressonância’) com frequências específicas, em Dimensões específicas, permitindo o acesso à Unidade. (UM AMIGO – 16.09.2010)

Publicado por Zulma Peixinho
via: http://portaldosanjos.ning.com/group/autresdimensions/forum/topics/pequeno-glossario

--------------------------------------------------------------------------------

Mensagem Publicada no site: www.mestresascensos.com

MA ANANDA MOYI - 27-10-2011 - AUTRES DIMENSIONS




Eu sou MA ANANDA MOYI.

Irmãos e Irmãs, sobre esta Terra, dignem-se de acolher minhas bênçãos e a Graça da Luz.

Eu venho a vocês, hoje, não tanto para explicar, ainda, a Consciência, mas mais para dialogar com vocês, além das palavras, a fim de estabelecer uma Comunhão íntima e uma compreensão, além das simples palavras, justamente destas três palavras que são: o Presente, a Unidade e o Si.

No período que vocês vivem, e nesses processos que estão em andamento, sobre a Terra como em muitos Irmãos e Irmãs, talvez seja bom tentar esclarecer, ainda mais, se isso pode sê-lo, estas três palavras.

Porque, além de sua definição e além do seu conceito, elas são, efetivamente, as palavras que (além das culturas, além dos séculos) foram as mais frequentemente empregadas para tentar corresponder, ao melhor, ao Despertar, à nova Consciência.


Na realidade, ao que os seres, que vieram antes de vocês, puderam viver, durante este estado particular, quando eles atingem o Ser.

Então, hoje, mais do que longos discursos, nós iremos tentar, juntos, dialogar em relação a essas três palavras.

E exclusivamente em relação a elas.

E, de maneira mais geral, porque eu suspeito que, quaisquer que sejam as experiências que vocês vivenciaram ou que vocês vivem, enquanto essas experiências não são instaladas, de forma permanente e contínua, é muito comum que se coloque algumas questões.

Naturalmente, a partir do momento em que o Ser é alcançado, como vocês sabem, as questões desaparecem por si só, inteiramente.

Mas pode ser que, para alguns Irmãos e Irmãs, aqui e em outros lugares, as questões se colocam, justamente, para favorecer os mecanismos da Realização do Ser.

Então, nós iremos aproveitar o tempo (porque nós o temos) para dar andamento às suas questões.

Enquanto sabendo, pertinentemente, que suas questões são as questões dos seus Irmãos e Irmãs, por toda parte, onde eles estejam sobre esta Terra, quaisquer que sejam suas crenças, quaisquer que sejam suas experiências, qualquer que seja sua cultura, sua educação.

Porque, é claro, o momento atual, sobre a Terra, é um processo coletivo particular que se desenrola, a nada parecido na história da humanidade.

E em relação ao que se desenrola, obviamente, a Consciência é levada, de alguma forma, a reposicionar-se, a redefinir-se, não tanto através de uma definição, mas, bem mais, em relação à sua própria vivência, à sua própria mutação.

Então, eu escuto suas perguntas referentes ao Presente, ao Si e à Unidade.

Eu tentarei me comunicar com vocês o melhor que eu posso, pela minha Presença, pela Comunhão da Luz correspondendo às palavras que eu vou pronunciar.

Nós podemos, agora, prosseguir juntos, eu os escuto.

Pergunta: por que ter escolhido associar esses três aspectos: Presente, Si, Unidade?
Porque estas três palavras são as palavras que podem definir, se tanto é que possamos defini-las, a nova Consciência, o estado de Turiya, a Realização do Ser.

Porque são três palavras, além de qualquer noção cultural, que vão, talvez, melhor expressar o que um ser, que vive isso, vai tentar (quando lhe colocamos a questão) traduzir.

Eu, evidentemente, evitei as palavras que teriam excessiva conotação ocidental ou oriental, mas, naturalmente, é evidente que falar de Unidade, falar de Samadhi, de CRISTO, de Luz Branca, de Turiya, é exatamente a mesma coisa.

Mas para ser o mais lógico e ser o mais Universal possível, essas três palavras são, a priori, o que, ao nível de nossa Assembleia das Estrelas, são as mais capazes, em seu idioma como em outros idiomas, de evocar, para vocês, o que é esta Consciência nova, tanto a título individual como ao nível coletivo da humanidade.

Cada palavra, cada uma dessas três palavras, Veicula um conteúdo que não pode atribuir confusão.

Muito mais, por exemplo (como vocês sabem), do que as palavras Amor ou Luz, que são, lógica e naturalmente, coloridas pela experiência de cada pessoa, pela experiência de cada cultura e de cada vivência, coletiva ou individual.

Dessa maneira, essas três palavras (Presente, Unidade e Si) escapam a esta diferença veiculada, porque elas podem ser apreendidas além de qualquer dogmatismo, além de qualquer compreensão subtendida, ligada a um modelo cultural ou mesmo espiritual.

Dizer “o Si” não é perfeitamente a mesma coisa, mesmo se a Vibração seja a mesma, do que dizer “o Atman”.

Dizer “a Unidade” é a mesma Vibração, mas não é perfeitamente a mesma coisa que dizer “Dissolução Bramânica”, etc., etc..

Nós, então, escolhemos as palavras que podem, à perfeição, ilustrar-se fora de qualquer dogmatismo (de qualquer associação, eu diria) ou de qualquer cultura.

Está aí o porquê da escolha dessas três palavras mais do que outras palavras.

Porque as três, também, referem-se a uma mesma ressonância, inscrita no corpo, no Templo do Coração: são, de algum modo, os três atributos que podem, ao melhor, exprimir o que é a vivência do Fogo do Coração.

Pergunta: podemos dizer que Unidade tem como base o Amor, na medida em que o Amor Unifica tudo, em todos os Mundos, em toda a Criação?
Meu Irmão, o Amor, em seu sentido o mais direto, é a própria base do que é chamado de Vida.

O Amor seria, de qualquer forma, a síntese e a reunião da Unidade, do Si e do Presente, mas sem qualquer coloração ligada, justamente, à experiência vivenciada por cada Irmão e Irmã, profundamente diferente do Amor.

Desvencilhado, de algum modo, de todas as conotações afetivas, emocionais, mentais, próprios de cada um, segundo a vivência de cada Irmão, de cada Irmã.

Desta forma, podemos dizer que o Amor, no sentido o mais autêntico (Vibral, como foi denominado), é a reunião e a conjunção do Presente, da Unidade e do Si.

A palavra Amor foi muito usurpada para definir qualquer outra coisa, em meio à personalidade e à experiência.

Porque o amor, sobre este mundo privado d’A FONTE, desta conexão Lúcida e Consciente à Unidade, apenas pode traduzir-se, como lhes foi dito, por uma falta a preencher (ndr: ver a canalização de IRMÃO K de 26 de outubro).

E, naturalmente, se eu emprego a palavra Amor, cada um vai compreender algo que lhe é próprio.

Ao passo que se eu emprego a palavra Presente, a palavra Si, a palavra Unidade, e suas Vibrações correspondentes, vocês não podem ali adicionar outra coisa.

Porque, justamente, a Unidade, o Si e o Presente não lhes são acessíveis, na totalidade (para a maioria de vocês), enquanto não são, de alguma maneira, atualizadas, reveladas, atualizadas em meio à Consciência.

E isso, então, vai evitar distorções.

Mas, efetivamente, aquele que vive a Unidade, o Si, que está Presente, descobre a Verdade do Amor.

Mas de um Amor que não tem necessidade de qualquer projeção, de qualquer identificação, ou de qualquer suposição.

O Amor existe em diferentes estágios, em diferentes oitavas.

O Si existe apenas no Si.

A Unidade existe apenas nela mesma e o Presente existe apenas nele mesmo.

Pergunta: poderia desenvolver sobre a relação entre o Si e a Unidade?
O Si é Realizado (Conscientizado, é a palavra mais exata) a partir do instante em que a Consciência se localiza, não mais na separação e na fragmentação, mas, justamente, neste estado da Unidade.

O Si e a Unidade, e o Presente, são os três lados, as três facetas de uma mesma realidade.

O Si e a Unidade apenas podem se encontrar no Presente.

O Presente comporta o Si.

O Si é Presente e é Unidade.

A Unidade é o Si e é o Presente.

Cada uma dessas palavras implica na outra.

E a relação que existe (como eu disse) é, de qualquer modo, três maneiras de dizer o Amor, no sentido autêntico e não alterado.

O Amor (no sentido Vibral) é uma inversão total.

O amor, quando nós estamos presentes sobre a Terra, tende a ser projetado, de maneira contínua.

Ele é visto como uma relação, qualquer que seja a forma, como uma comunicação.

O Amor (no sentido Vibral) é um estado que induz a Graça do Ser, e que manifesta o Si no Eterno Presente.

Na Presença e no Presente, há também o imediatismo do Instante, que não pode ser assimilado a qualquer instante, e este Instante é vivenciado, pela Consciência, como indissolúvel da Eternidade.

O tempo não parecia mais como linear, mas sim como englobante, como inscrito no mesmo tempo, chamado de Presente.

Esse princípio de Reversão do amor se traduz pela descoberta ou redescoberta da Unidade, entre Si e todos os outros Si, entre Si e o conjunto do Universo.

Já que, naquele momento, não pode mais existir qualquer separação, qualquer distância, qualquer sofrimento e qualquer falta.

É, então, bem mais que uma relação, entre cada uma dessas palavras, mas isso é, sobretudo, o que é mais capaz de fazer Vibrar, em vocês, certo número de estruturas físicas, celulares, Vibratórias, energéticas, e em meio mesmo à Consciência.

O Si pode também, e, obviamente, opor-se ao “eu” [‘moi’], ao “eu” [‘je’].

Ele exprime, portanto, outra oitava, aí também, de manifestação da Consciência.

E esse Si envolve a Presença, o Presente e a Unidade.

Podemos dizer, então, que cada uma dessas palavras implica na outra, na mesma realidade.

Pergunta: Vibrar, em nós, é Vibrar em nosso corpo, em nossa personalidade ou em nosso ego?
Meu Irmão, a personalidade e o ego jamais podem Vibrar.

Eles podem apenas se movimentar e, então, fazer circular a energia.

A Vibração não é uma energia que circula, é um estado, justamente, do Presente.

Esta Vibração pode ser definida, precisamente, como uma ausência de movimento, como uma ausência de circulação, como uma ausência de emoção.

Obviamente, o ego tem tendência a querer apreender-se desta Vibração, para torná-la sua.

A Vibração do Ser não pode ser armazenada, nem possuída pelo que quer que seja, já que ela recorre, justamente, a virtudes e a características que são diametralmente opostas ao ego e à personalidade.

O ego é opaco: ele não conhece a Transparência.

O ego jamais é simples: ele busca sempre a complexidade porque ele é complexo.

O ego não conhece a Humildade, ou então, ele apenas traduz uma falsa humildade.

E, enfim, o ego jamais pode ser uma Criança.

Dessa maneira, então, o Si se opõe formalmente ao “eu” [‘je’] e ao “eu” [‘moi’], não tanto como uma oposição de contradição, mas, justamente, como uma oposição de Vibração.

O ego não conhece o Presente, ele está permanentemente prestes a tomar referências, na experiência passada ou na projeção em um futuro.

Ele elabora e constrói hipóteses, permanentemente.

O Si não tem o que fazer das hipóteses, não tem o que fazer do ontem, não tem o que fazer do amanhã, porque ele está imerso em outras coisas.

O ego não pode apreender-se, nem conhecer, nem viver a Unidade, porque ele é construído sobre o princípio da Dualidade, e esta Dualidade se exprime, permanentemente, na vida, enquanto Bem e Mal.

Deste modo, então, tudo opõe o ego e a personalidade, ao Si: nos mecanismos de funcionamento, mas também em tudo o que vai resultar, nas atitudes na vida.

O ego leva tudo para si, mas em meio ao Eu [‘Moi’].

O Si está na Transparência a mais total e não leva nada para ele, exceto que ele encontrou a Fonte do Amor que é, naturalmente, ele mesmo, mas em um Espaço e em um Tempo que nada tem a ver com o espaço e com o tempo da personalidade e do ego.

O ego, por definição, é limitado, fragmentado, e se constrói apenas através do medo, através da ‘vontade de bem’ e da promoção.

Nada é necessário além de Ser, e de manifestar a Transparência e o Amor.

Não como algo a buscar (como algo a construir que se inscreve em uma busca e, então, em um tempo): não há caminho, não há busca.

Há apenas, justamente, que parar tudo isso, para viver o Si.

Enquanto há procura, enquanto há pergunta, enquanto há dúvida, existe o ego, porque o Si jamais pode duvidar do que quer que seja.

Ele não conhece a dúvida e não pode conhecê-la.

Não há pergunta, porque ele É a resposta.

Pergunta: quais são as diferenças e as associações entre o Espírito e o Si?
O Espírito possui as características, globais e principais, do Si, da Unidade e do Presente.

O Espírito possui, além disso, uma Dimensão outra que esse corpo de carne.

O Espírito é, para vocês (e para nós, quando estávamos encarnados) imaterial, porque invisível, Desconhecido e situado em outras Esferas.

O Espírito é, em outras Dimensões, um Corpo.

Um Corpo com sua densidade (que lhe é própria), com uma forma (que está além da forma, como definida sobre este mundo), com uma coloração (se o podemos dizer, que não é uma coloração da alma, mas, bem mais, um estado Dimensional específico, mas que não é compartimentado ou limitado).

O Espírito é o Si.

O Espírito é a Unidade.

O Espírito é o Presente.

Mas, além desta Dimensão, ele é também um Corpo.

Um Corpo Aberto, não fechado, não fragmentado e, sobretudo, não isolado.

Ele está, então, ligado à Comunhão e à Graça, permanentemente, à Vida e à A FONTE.

O Espírito é Eterno.

É, portanto, um Corpo Eterno que não pode desaparecer: ele pode apenas se transformar.

Ele pode apenas seguir o Si, porque ele é, de qualquer forma, seu Veículo.

Pergunta: o Espírito habita outros corpos, nesta Dimensão ou em outras?
De maneira a mais geral possível, sobre este mundo, a um corpo corresponde um Espírito.

Mas, em outros Mundos, Unificados, o Espírito não é tributário de um Corpo, mesmo se ele é um Corpo, porque esse Corpo é mutável e porque esse Corpo não está fechado, nem localizado.

Pergunta: como fazer perdurar os momentos de Unidade que podemos às vezes viver?
Não há, justamente, nada a fazer.

Há que se manter neste estado, manter-se no Ser, nesta Vibração, como foi dito pelo Comandante (ndr: O.M. AÏVANHOV) e por outros Anciãos, e também por algumas de minhas Irmãs Estrelas.

Há, de algum modo, um processo de aprendizagem que é especial.

Porque ele tem a textura, de qualquer forma, dos tempos específicos que vocês vivem, que estão em relação e em contato direto com um processo que não se refere mais unicamente a um indivíduo (segundo seu caminho anterior), mas que diz respeito à totalidade da Terra e, então, às Consciências que estão ali presentes.

Para a maior parte de vocês, a Realização total e integral do Si significa, hoje (porque vocês estão neste Tempo), a Fusão ou a Transmutação nos Corpos de Estado de Ser (ou Corpo do Espírito).

E que significa (ou que significaria) o desaparecimento total deste corpo e desta personalidade.

O que, como vocês talvez saibam, deve aguardar um momento coletivo particular, que está ligado, ao mesmo tempo, a acontecimentos de ordem cosmológica, astronômica e, é claro, planetária.

Alguns, contudo, têm a capacidade para instalar-se na Unidade, no Si e no Presente, de maneira mais duradoura do que outros, porque a Transparência (que está em contato direto com o Abandono à Luz, com a Porta de CRISTO) está mais pronta, por assim dizer, em meio à personalidade.

A personalidade tende a se tornar, para estes seres, Transparente.

Ela tende, então, a não mais deter a Luz, a não mais freá-la.

Isso é diretamente procedente, é claro, de comportamentos da personalidade, onde o medo foi (não por qualquer vontade) Transcendido e eliminado, onde o Amor se aproxima de sua definição a mais Vibral, perdendo todas suas características pessoais.

E onde o ego (a personalidade, o “eu” [‘je’], o “eu” [‘moi’]) nada mais reivindica, para ele mesmo.

Para estes Irmãos e estas Irmãs, é mais fácil manter-se no Ser, do que viver as três facetas do Ser: o Si, a Unidade e o Presente.

Mas é preciso bem aceitar que isso não é algo para ser buscado, mas que é verdadeiramente algo a que é preciso se Abandonar.

Enquanto existe (e mesmo em meio à personalidade) uma vontade própria do “eu” [‘je’] e do “eu” [‘moi’] de querer viver a Luz, de maneira sistemática, a personalidade vai apropriar-se da Luz, em uma não Transparência e em uma opacidade.

Dito de outra forma, o Si, a Unidade e o Presente, é tornar-se si mesmo esta Luz, mas não utilizar esta Luz para outra coisa que a Luz.

A dificuldade reside, efetivamente, neste nível.

Porque a alma humana é assim feita, e está assim voltada, no Plano Vibratório, polarizada para a encarnação e não para o Espírito.

Dito de outro modo, como CRISTO disse: “seu Reino não é deste mundo”.

Ora, a personalidade quer, a todo custo, estabelecer seu reino com a Luz, o que, logicamente, não pode acontecer.

Jamais.

A anulação e a Transcendência do “eu” [‘moi’], do “eu” [‘je’], é um Sacrifício.

E esta Crucificação (essa Passagem da Porta Estreita, do ego ao Coração, da Nova Fundação de Vida) apenas acontece se o ego se rende, integralmente.

E, aliás, nas experiências de Luz, antes deste período coletivo (e para alguns seres, também, Irmãos e Irmãs que estão com mais maturidade para viver isso), é apenas durante um evento específico, onde o ego se rende (pela meditação, por uma experiência às portas da morte), que se revela a Luz, não de outra forma.

Existem, hoje, alguns Irmãos e Irmãs que vivem a Luz de maneira instantânea.

Naquele momento, como eu disse, os comportamentos mudam, ao contrário.

O Irmão ou a Irmã que vive isso, de maneira imprevista e espontânea, não pode mais fazer uso de suas capacidades habituais.

Tudo é transformado.

Mas enquanto o ego está presente e que ele pensa dirigir, controlar ou dominar, a Luz não pode ser vivida.

Porque a Luz, o Si, a Unidade, o Presente, é muito exatamente a antítese (como eu disse) dos próprios princípios do ego e da personalidade.

É preciso não compreender, por isso que vocês devem matar o ego, porque vocês não mudariam um iota o estado que vocês estão.

Porque, quem desejaria matar o ego, senão o ego?

O qual, é claro, jamais pode ser morto.

Ele apenas pode, como eu disse, render-se, tornar-se Transparente à Luz.

Os Quatro Pilares do Coração, que lhes foram comunicados, e que foram ativados, destinam-se, de algum modo, a favorecer este estado para vocês.

Pergunta: se este estado não pode ser alcançado pela vontade pessoal, pode se alcançar por todos os protocolos comunicados, em particular, sobre as Portas?
Tudo o que lhes foi comunicado, seja por UM AMIGO (com relação ao Yoga da Unidade), seja pelos elementos novos sobre a falsificação (que lhes foram dados pelo IRMÃO K), os testemunhos que lhes foram fornecidos (pela minha Irmã GEMMA, ou pela HILDEGARDA ou por outros), são apenas testemunhos.

Os exercícios, as práticas, a meditação, a oração, tudo o que podemos imaginar, podem ajudar, mas na condição de bem se apreender de que isso não é o objetivo, mas os meios.

E de que mesmo esses meios jamais os farão passar a Porta Estreita.

Jamais.

São apenas meios para aproximá-los desta Porta.

Não há outro modo senão se Abandonar à Luz, senão aceitar viver, simbolicamente, sua própria morte, a eliminação de toda vontade, a eliminação de todo Eu, a eliminação de todo medo, de toda opacidade à Transparência.

É isso que foi denominado, em várias ocasiões, o Abandono à Luz, e como disse o CRISTO: “eu entrego meu Espírito em tuas mãos”.

É conceber, aceitar e viver que o efêmero nada é diante do Eterno e diante da Eternidade.

Enquanto há uma vontade de preensão ou de compreensão, é apenas o ego que fala.

A diferença essencial, em relação a uma época anterior até a chegada da Luz (desde uma ou duas gerações), é que, hoje, esse processo é muito mais fácil.

Porque vocês não são obrigados a ascender à Luz, mas é a Luz que desce até vocês.

Simplesmente, resta Conscientizá-la.

E Conscientizá-la significa fazer cessar toda vontade, fazer cessar todo ato da personalidade.

É Abandonar-se à Luz.

Crer que um exercício ou uma prática vai conduzi-los ao Despertar, se isso fosse verdadeiro, vocês seriam centenas de milhões sobre a Terra, e o conjunto da humanidade já teria vivenciado o Despertar, e esse não é o caso.

Mesmo se esse processo, hoje, seja um mecanismo aberto a todos, porque as condições iniciais, precedentes, são totalmente diferentes, desde uma geração ou duas gerações.

Enquanto vocês não estão Humildes, enquanto vocês não são Simples, enquanto vocês não estão Transparentes e enquanto vocês não estão neste Caminho da Infância, o Coração não pode permitir-lhes viver o Si, a Unidade e o Presente.

É o mental que buscará sempre, pela compreensão, apropriar-se da Luz.

A Luz jamais é uma apropriação, é uma restituição, é uma Transparência total.

O ego é que foi criado (eu não retornarei às circunstâncias históricas ou aos mecanismos, pouco importa), mas o ego, gradualmente e à medida do que foi chamado de encarnação, as encarnações, as reencarnações, pouco a pouco foi cristalizado.

A alma desceu cada vez mais, Vibratoriamente, nos mecanismos de ação / reação (quaisquer que sejam os nomes que possam ser dados, no Oriente como no Ocidente, ou como em qualquer época).

O próprio princípio da ação / reação, que é a lei deste mundo, está em total contradição com a Lei do Espírito.

Vocês não podem ascender a este Desconhecido enquanto vocês mantêm o que quer que seja de Conhecido, e o que lhes é o mais Conhecido, é claro, é a personalidade, sua pessoa, seu Eu, mas que não é o Si.

O Si não está no fim de um caminho, ele não está tampouco no amanhã, ele não está tampouco (é claro) no ontem, mas ele está (como foi dito) no Instante Presente.

Ora, o ego jamais está no Presente, porque a partir do momento em que o mental escuta, ele busca compreender e, então, ele não pode estar no Presente porque ele já está no instante seguinte.

É o mesmo para as emoções, e é o mesmo para todos os funcionamentos do que está limitado em meio à personalidade.

Não existe qualquer mecanismo presente na personalidade que irá permitir viver a Unidade, o Si e o Presente.

Todos esses mecanismos, sem qualquer exceção (referentes ao passado, à ascese ou ao aprendizado), devem desaparecer.

Porque mesmo aquele que segue uma ascese aproxima-se, como eu disse, da Porta Estreita, mas jamais a própria ascese fará atravessar a Porta Estreita.

A única maneira de atravessar é o Sacrifício e a Crucificação.

Não pode ali haver Ressurreição (ou seja, manifestação da Consciência do Ser, Realização, Despertar do Si, da Unidade e do Presente) enquanto os elementos que não são o Si, a Unidade e o Presente são a maioria.

E o que conduz a personalidade é, muito exatamente, a antítese do Si, da Unidade e do Presente.

As condições anteriores, de silenciar o mental, as emoções (pela meditação, pela oração, pelo estado Interior), são condições preliminares: essas condições preliminares são úteis, mas elas jamais serão a Passagem da Porta.

Pergunta: foi dito que nossa alma não conhecia nosso Espírito.
É possível, por uma Intenção específica, garantir que, justamente, nossa alma conheça nosso Espírito?
Sim, isso foi explicado pelo IRMÃO K (ndr: ver a canalização do IRMÃO K de 7 de julho de 2011, referente ao desdobramento da Luz sobre o eixo lateral anterior direito, assim como a descrição das Trilhas correspondentes (Portas AL, VISÃO, PRECISÃO) no Protocolo “Reconstrução do Corpo de Ressurreição”).

É a Reversão da alma, da Visão e da Atração, para o Espírito.

É a Renúncia.

É o mesmo mecanismo que eu acabo de explicar.

Não há outro caminho, não há outra possibilidade.

Nós não temos mais perguntas, nós lhe agradecemos.

Irmãos e Irmãs desta assembleia, eu rendo Graças por nossa Comunhão.

Eu permanecerei Presente, em vocês (porque eu ali estou), para o período conjunto de Comunhão.

Eu lhes envio a Plenitude da Graça e da Alegria.

Comunguemos antes que eu me estabeleça em vocês.

... Efusão Vibratória / Comunhão ...

Até breve.

Enviado por Rosa
Mensagem da Amada MA ANANDA MOYI no site francês:
http://www.autresdimensions.com/article.php?produit=1245
27 de outubro de 2011
(Publicado em 28 de outubro de 2011)
Tradução para o português: Zulma Peixinho
http://portaldosanjos.ning.com

via: http://minhamestria.blogspot.com/

--------------------------------------------------------------------------------

Mensagem Publicada no site: www.mestresascensos.com

São Judas Tadeu




OS DEVOTOS DE SÃO JUDAS TADEU


A devoção a São Judas Tadeu nasceu aqui, na cidade de São Paulo, e espalhou-se pelo Brasil afora.

Aconteceu no Jabaquara um fenômeno impressionante: sem aparição, a devoção a São Judas Tadeu passou a crescer e o próprio povo fez do Santo um intercessor amigo e confiável para levar a Deus os pedidos mais urgentes e difíceis.

Foi o próprio povo que deu a São Judas o título de "O Santo dos desesperados", expressão de devoção e confiança.

Essa religiosidade traz pessoas de todos os cantos da grande São Paulo para o Jabaquara, o que mostra a característica urbana do santuário.

Mas, também de outras cidades, chegam devotos até o santuário.

A caminhada da devoção, inicialmente centrada no indivíduo, embora lenta, vai abrindo o devoto para uma visão mais comunitária da religião e do compromisso com os irmãos.

A primeira festa para o Santo Padroeiro foi celebrada no dia 28 de outubro de 1940. Com o apoio da comunidade e o incentivo do primeiro pároco, já no ano seguinte, ela passou a acontecer no dia 28 de cada mês.

A Paróquia/Santuário de São Judas Tadeu, recebe todos os meses, no dia 28, cerca de 60 mil de devotos.

Mas é em outubro a grande festa de São Judas Tadeu, quando a concentração de fiéis explode no Jabaquara.

Mais de 250 mil pessoas visitam o Santuário neste dia.

É uma festa essencialmente religiosa em que os devotos vêm pedir e agradecer ao Santo de sua devoção.

Para acolher a tantos que chegam, o Santuário prepara-se com bastante antecedência.
Além dos padres, irmãos e funcionários da paróquia, cerca de 700 voluntários estão presentes com sua dedicação.

Para o povo é a festa de seu Santo milagroso, o Santo das causas impossíveis, o poderoso intercessor, amigo, apóstolo e parente de Jesus Cristo, nosso Salvador.


***
ORAÇÃO DE SÃO JUDAS

São Judas Tadeu, apóstolo escolhido por Cristo, eu vos saúdo e louvo pela fidelidade e amor com que cumpristes vossa missão.

Chamado e enviado por Jesus, sois uma das doze colunas que sustentam a verdadeira Igreja fundada por Cristo.

Inúmeras pessoas, imitando vosso exemplo e auxiliadas por vossa oração, encontram o caminho para o Pai, abrem o coração aos irmão se descobrem forças para vencer o pecado e superar todo o mal.

Quero imitar- vos, comprometendo- me com Cristo e com sua Igreja, por uma
decidida conversão a Deus e ao próximo, especialmente o mais pobre.

E, assim convertido, assumirei a missão de viver e anunciar o Evangelho, como
membro ativo de minha comunidade.

Espero, então, alcançar de Deus a graça que imploro confiando na vossa poderosa intercessão.

(Faça o pedido da graça a ser alcançada…)
São Judas Tadeu, rogai por nós!
Amém!