sábado, 29 de maio de 2010

O Cavalo de um milhão


Imagine que você tivesse um cavalo puro sangue que valesse um milhão de reais.
Como você o trataria?

Você o encheria de café?

Deixaria ele fumar?

Como seria sua alimentação?

Você permitiria que ele ficasse alguns quilos acima do normal?

Estressado ou sem dormir?

Sujo, sem tomar banho?

Com certeza absoluta não.

Provavelmente cuidaria dele com imenso carinho e atenção total.

Todos os detalhes seriam rigorosamente supervisionados e imediatamente resolvidos.

Afinal, ali estaria um campeão – o seu campeão.

Você já deve estar imaginando para onde quero ir com esta história.

Todos os dias temos pessoas à nossa volta que são muito mais valiosas do que o cavalo desta história, e muitas vezes não lhe damos a atenção que merecem, porque estamos sempre muito ocupados com alguma bobagem de curto prazo que parece muito mais importante.

E no longo prazo muitas vezes perdemos esses campeões por pura falta de atenção.

Essa atenção pode estar até mesmo faltando para nós mesmos: como você se trata – como campeão ou como pangaré?

Alimentação, exercício, sono?

Nossas necessidades básicas, em ordem de importância, são as físicas, as espirituais, as sociais, as intelectuais e só depois as financeiras.

Mas parece que em muita gente a ordem está totalmente invertida.

E depois não entendem porque não conseguem resultados de campeão.

Mesma coisa com família, principalmente filhos e marido/esposa.

Como você trata as pessoas à sua volta?

Como verdadeiros campeões de um milhão?

Se alguém viesse e perguntasse às pessoas a sua volta quais são as suas prioridades, qual seria a resposta?

Uma pessoa que trate como verdadeiros campeões aos outros e também a si mesmo, conseguirá muitos mais resultados, em todos os sentidos, do que alguém que faça o contrário.

Então não entendo porque tem tanta gente fazendo o contrário.
Pense bem nisso, porque na sua vida é você quem decide: pangaré ou puro sangue?
Então aja de acordo.

Raúl Candeloro

A velha verdade (vídeo sobre os idosos)

"A Velha Verdade" de Luiz Gustavo Del Duca CURTA CRIATIVO 2008 | 2º lugar da categoria animação


Oração pelos idosos


A ti, meu Deus, elevo minha oração
Por todos aqueles e aquelas que já se sentem
vergados pelo peso dos anos.
Tua providência amorosa permitiu
que se prolongassem os seus dias na Terra.
Meu Deus, agora eles olham para trás
e vêem todo o passado percorrido,
desde as traquinices da infância
até à fragilidade dos derradeiros dias.
Retira toda a amargura dos seus espíritos,
para que se fixem, de preferência,
nas lembranças agradáveis e felizes.
Apaga, meu Deus, qualquer marca de ressentimento
causado pela ingratidão e pela maldade
dos que um dia passaram pelo seu caminho.
Alegra os corações cansados e abatidos.
Proporciona-lhes os meios de reviverem
as alegrias de uma vida normal e associativa.
Meu Deus, afugenta os fantasmas da solidão,
do abandono e do desprezo.
Cerca-os de amparo e de calor humano
no cotidiano em que vivem,
para que possam manter ânimo bem-disposto,
aberto e feliz.
Recompensa, meu Deus, a longa dedicação
que demonstram com a bênção daquela paz
que vem de Ti,
e prevalece contra todas
as limitações da idade avançada !

Que assim seja !!

Graças a Deus


http://www.portaldaluz.org.br/oracoes/oracao_idosos.asp

Cuidado: Zona de conforto é uma perigosa armadilha!


Minha mãe fez uma cirurgia delicada hoje.
Estava tudo bem, numa rotina confortável e, repentinamente, não estava mais!
Felizmente, tudo correu bem e, apesar dos percalços da recuperação, a vida seguirá seu ritmo.

Neste mundo de impermanência em que vivemos, precisamos da luz da sabedoria para aprender a não criar uma reação indesejável em nossa realidade pessoal.

Precisamos ter uma compreensão experiencial (uma lição de vida) do desapego, aprender a lidar com as perdas, abandonar os julgamentos e cuidar de nossos pensamentos e atitudes para surfar pela vida de forma ousada e corajosa.

No universo físico, toda ação gera uma reação.

No universo da consciência, também: todo pensamento, palavras e atitudes se propagam em forma de energia que é respondida pelo Universo.

Quanto mais forte a intenção/ação, mais forte será a reação!

Se plantarmos coisas boas, colhemos coisas boas.

Se plantarmos coisas ruins não adianta esperar algo diferente.

Para atingir sucesso na vida precisamos primeiramente descobrir quem somos, por que estamos aqui e para onde estamos indo.

Qualquer planejamento sem autoconhecimento é como construir um prédio sem a fundação correta, viver num castelo de cartas.

Após esta etapa, precisamos aprender a manejar nossas crenças para usar nossa consciência a nosso favor e desenvolver habilidades para seguir nossa caminhada.

Segundo Richard St. John existem 8 habilidades que precisamos desenvolver.


Paixão - Fazer por amor e não pela grana.
A grana vem de quaquer jeito!

Trabalho - Trabalhar duro, mas com muita diversão.
As pessoas bem sucedidas têm enorme prazer no que fazem.

Ser Muito Bom - Fazer algo com tanta dedicação e praticar muito até que você seja muito bom no que você se propôs.

Foco - Manter a atenção no seu objetivo e não nas dificuldades.

Esforço - Sempre buscar fazer mais e melhor, mesmo quando os medos, timidez ou insegurança aparecem.

Serviço ao outro - Fazer algo de muito valor por alguém.

Idéias - Escutar, observar, ser curioso, perguntar, fazer conexões e ser criativo!

Persistência - Persistir ao medo de falhar, dos tropeços e nos momentos em que se sentir um perdedor.

O grande perigo é que, ao chegar lá, você mergulhe em uma zona de conforto que silenciosamente vai sabotar cada uma de suas habilidades.

Então, sem qualquer aviso, você será surpreendido pela sua própria sabotagem e um indesejável momento de crise acaba acontecendo: conflitos em relacionamentos, problemas de saúde, frustração, dificuldades financeiras etc.

Neste momento, você precisa estar consciente e reagir para não ser tomado pelo medo das críticas e do sentimento de ser um visto como um perdedor.

Para mantermos o sucesso de forma equilibrada, precisamos aprender a viver fora da zona de conforto e nos manter em constante evolução.

O universo está em expansão e ficar estagnado é sinal que estamos indo na direção oposta.

E isto em todas as áreas da sua vida: espiritual, familiar, profissional, saúde e amigos.

Abaixo compartilho dois vídeos sensacionais de 3 minutos cada que podem trazer novos pontos de vista impactantes na sua vida!

Para assistir com legendas clique em "view subtitles" em vermelho abaixo dos vídeos e selecione "Português (Brasil):


Os 8 segredos para o sucesso:
http://vodpod.com/watch/3544146-os-8-segredos-para-o-sucesso-em-3-minutos?u=decidaserfeliz&c=decidaserfeliz

Sucesso é uma jornada contínua:
http://vodpod.com/watch/3544140-sucesso-uma-jornada-contnua?u=decidaserfeliz&c=decidaserfeliz#


Um grande abraço e ótima semana!
por Caio Cesar Santos
Especialista em Despertar da Consciência e Facilitador (Master) do Curso Internacional Avatar.
http://decidaserfeliz.com

A Vida Desconhecida de Jesus


Muitos guerrearam em seu nome.

Milhões devotaram suas vidas a ele.

Mas o quanto sabemos sobre Jesus na verdade?

O Evangelho nos fala sobre seu nascimento, seus ensinamentos e os anos logo antes de sua morte.

Mas o que se passou nos anos anteriores?

Onde ele estava?

O que fazia?

O explorador e estudioso da Bíblia, Kent Dobson, se propõe a esclarecer esse mistério milenar.

Acesse:

http://video.br.msn.com/watch/video/a-vida-desconhecida-de-jesus/ru7094qk

O Eu e O Ego


Eu gostaria de me sentir sempre feliz!
E quem não gostaria?

Gostaria de sentir dentro de mim aquele sentimento de plenitude que experimento quando me sinto imensamente grata por aquilo que estou recebendo.

Quando recebo amor, carinho, conforto, quando tenho paz em meu coração!
É assim que gostaria de me sentir, sempre.

No entanto, a vida é cheia de paradoxos, e nós sabemos que não podemos estar sempre cem por cento felizes, pois no dia-a-dia muitas vezes choramos de tristeza, sentimos dor pela falta de amor, pela falta de alimento e de conforto.

Nossa existência nos leva a experimentar a tristeza para que possamos reconhecer a felicidade.

Sim, creio que precisamos do preto para reconhecer o branco, precisamos da fome para reconhecer a saciedade, precisamos da carência afetiva para reconhecer a felicidade de amar.

Mas somos gratos por aquilo que recebemos?
Bem, essa é outra historia!

Normalmente nos esquecemos de agradecê-Lo por aquilo de bom que recebemos, mas nos queixamos, sim, nos queixamos muito por aquilo que não temos.

De manhã, quando abrimos os olhos, nos lembramos de agradecer a Deus pela vida?

Normalmente o Eu interior agradece, mas o Ego não.
Sabem o por quê?

O Ego é o outro eu, ou seja, é um eu imaginário, criado não à imagem e semelhança de Deus, mas à imagem e semelhança dos outros!

O Ego se espelha nos outros, pois é criado em nós pelo ambiente, pela sociedade em que vivemos, pela mãe e pelos parentes que nos rodearam quando crianças.

É através dessas pessoas que construímos o Ego.

São eles, aqueles que nos rodeiam, que permeiam nossa mente de modelos para nos servirem de espelho.

O Ego nos é útil, faz parte de nossa personalidade e não podemos prescindir dele, pois vivemos numa sociedade e precisamos estar inseridos nela, nos espelhando e nos adequando a ela.

Por exemplo, vamos trabalhar de manhã e nos vestimos de acordo com as regras desta sociedade.

Se vivemos no Brasil ou noutro país ocidental, estaremos vestindo um terno (os homens) uma roupa discreta e elegante (as mulheres) e nos sentiremos assim inseridos no contexto.

Se vivemos num país oriental, estaremos nos vestindo de outra forma, nos comportando de outra forma, de acordo com outras regras, não é mesmo?

Não são somente as regras de vestir, mas todo nosso comportamento é moldado e resulta no nosso Ego. Assim, pouco a pouco, ao crescermos, construímos em nós uma identidade, como se fosse um outro Eu.

E acabamos acreditando ser esse nosso verdadeiro Eu!

Mas o Eu interior, aquele que é alimentado pela centelha divina dentro de nós, este é diferente, único, não precisa de espelho, não precisa de regras, recebe alento somente do Criador.

O Eu está sempre feliz!

Por essa razão, podemos fazer essa constatação: o Eu não sofre, quem sofre é o Ego.

Vamos fazer um exercício: quando experimentarmos algo ruim, uma dor, por exemplo, vamos nos perguntar: é o Eu que está sofrendo ou é o ego?

Creio que o Eu sofre ao ver outro ser humano sofrer e então sente aquela dor como sua e corre para aliviar o sofrimento alheio.

A isso chamamos de Amor Universal, que nos faz sentir solidários, integrados ao TODO.

O Ego, por sua vez, sofre porque vê outro ser humano ‘ter’ algo que ele não tem.

O Ego sofre mais que o Eu e se aprendermos a reconhecer essa dor, esse sofrimento, se aprendermos a fazer essa diferença então viveremos mais serenos.

A astrologia nos ensina que o Eu Interior reside em nosso Sol e o Ego reside na Lua.

A Lua é a morada da alma, onde residem os desejos.
No Sol há somente espírito.
Por essa razão não pode haver sofrimento no Sol.
O espírito não sofre quando ele se reconhece fazendo parte do todo.

Alguém me escreveu recentemente, dizendo que nunca tinha ouvido essa definição como sendo da Astrologia.

Realmente, talvez a astrologia tradicional não se preocupe em fazer essa constatação, mas a Astrologia Cabalística sim.

Quando olhamos um mapa com os olhos do Astrólogo Cabalista, enxergamos a diferença entre o Eu e o Ego e procuramos orientar nossos clientes a fazer essa diferença.

O Ego – que corresponde à Lua - pertence à parte inferior da Arvore da Vida (veja os artigos sobre o estudo da Cabala) e a ele estão ligados os instintos do Homem Vegeto-animal.

O Eu – que corresponde ao Sol - fica no Centro da Arvore, e interliga a parte inferior à parte superior, aquela parte de nós que anseia alcançar o Conhecimento!

Muitas pessoas vivem sua vida somente movidas pelo Ego, podem desenvolver de maneira rudimentar o Eu somente para se tornar ‘chefes de manada’, melhores dentro de sua espécie, mas dificilmente desenvolvem a Consciência do Eu Interior.

Assim, quando queremos ‘parar de sofrer’ devemos fazer a diferença entre o sofrimento do Ego e o sofrimento do Eu.

Reconhecer essa diferença nos fará viver melhor, creiam-me!

O Ego é um presente de Deus, sabem por quê?

Porque ele pode tomar todo o sofrimento para si e deixar que nosso espírito use essa experiência para evoluir!

Então, quando estiver sofrendo por alguma coisa pensem:
Puxa, não sou Eu quem está sofrendo, é o meu Ego!.

Saber reconhecer essa diferença nos faz viver em Paz, aceitar o sofrimento como experiência necessária para o crescimento, nos torna mais serenos, alivia imediatamente a dor.

No momento em que reconhecermos essa diferença a Luz Divina estará nos ajudando e aliviará nosso sofrimento.

Vocês já repararam na serenidade que vemos no rosto de algumas pessoas iluminadas?

Em todas as religiões existem pessoas iluminadas que espalham ao redor de si essa sensação de harmonia e serenidade.

O Dalai Lama é um dos exemplos, o Papa João Paulo II também o era, assim como outros tantos de todas as raças e cores, provenientes de todas as religiões do mundo!

Eles estão SEMPRE com o Eu Interior conectado com o Todo e reconhecem a diferença entre o Ego e o Eu.
Assim, vivem serenamente.

Muitos artigos, e de vários autores, nos explicam sobre a Lua e suas influências sobre nosso caráter, nossa maneira de sentir e reagir às emoções, mas poucos explicam que nós, não somos escravos do Ego!

Portanto, caros internautas, procurem desenvolver todas as qualidades de seu Sol central!

Façam brilhar esse Sol, sejam vocês arianos, aquarianos, capricornianos, etc. etc..

Todos vocês têm um Sol que está conectado com a Luz!
Basta reconhecer essa união e estarão começando a viver uma vida de serenidade e de paz interior.

Eu sei, é difícil fazer esse reconhecimento, pois, afinal o Eu e o Ego são interligados, mas se conseguirmos fazê-lo adequadamente, aos poucos estarão ocorrendo milagres em nosso dia-a-dia e viveremos com menos sofrimento, menos tristeza, menos dor.

Comecem agora e peçam a ajuda do Gênio (Anjo) Cabalístico de nº 13 IEZALEL:

O Salmo de oração é o de número 97, cujo versículo 6 diz:

“O céu anuncia a Sua justiça e os povos todos contemplam a Sua Glória”.



Uma boa semana cheia de Luz a todos!
Graziella Marraccini

Poema da Posperidade


“Divinos Anjos da Prosperidade, ajudem-me a aceitar a prosperidade como parte integrante da minha vida.
Ajudem-me a me libertar das idéias de miséria ou carência.
Que a cada dia meus assuntos melhorem, que minha colheita seja abundante e minha vida rica material e espiritualmente.
Deem-me discernimento para ajudar a outras pessoas.”

Nem a tristeza, nem a desilusão;
nem a incerteza, nem a solidão;
nada me impedirá de sorrir.

Nem o medo, nem a depressão;
por mais que sofra o meu
coração;
nada me impedirá de sonhar.

Nem o desespero, nem a descrença;
muito menos o ódio ou alguma
ofensa;
nada me impedirá de viver.

Em meio às trevas, entre os espinhos;
nas tempestades e nos descaminhos;
nada me impedirá de crer em Deus.

Mesmo errando e aprendendo,
tudo me será favorável,
tudo me será necessário,
pra que eu possa sempre evoluir,
perseverar, servir, cantar,
agradecer, perdoar, recomeçar...

Quero viver o dia de hoje
como se fosse o primeiro,
como se fosse o último,
como se fosse o único.

Quero viver o momento de agora
como se ainda fosse cedo,
como se nunca fosse tarde.

Quero manter o meu otimismo,
conservar o meu equilíbrio,
fortalecer a minha esperança,
recompor as minhas energias

para prosperar na minha missão
e viver alegre todos os dias.

Quero caminhar na certeza de
chegar,
quero buscar na certeza de alcançar,
quero lutar na certeza de vencer,
quero saber esperar para poder realizar
os ideais do meu ser.

Enfim,
quero dar o máximo de mim
para viver intensamente e maravilhosamente
todos os dias da minha vida.


Fonte: http://www.luizinhobastos.com/textos.asp

Uma prece ao melhor do teu ser

Ataques espirituais?


Para falar a verdade, não gosto muito de dizer que acredito em ataques espirituais porque acho que falando isso dou valor ao mal.

Aprendi que somos nós que valorizamos as coisas e acho que não devemos supervalorizar as coisas negativas que nos acontecem porque se damos muito valor a algo ruim o que já é pesado ou triste se torna ainda pior.

Mas devo confessar que acredito sim em ataques espirituais, porém, não acredito que as pessoas são sempre vítimas das situações.

Os ataques existem, mas não somos vítimas.

Somos participantes dos enredos de nossas vidas.

Claro que muitas vezes gostaríamos de escrever apenas coisas boas para viver, mas e aquilo que já foi escrito?

E aquilo que já fizemos em Vidas Passadas?
Não podemos simplesmente mudar nossas vidas e esquecer totalmente que tivemos um passado.

Olhar a vida de forma mais ampla explica muita coisa, inclusive os ataques espirituais.

Adriano, um cliente, viu que em vidas Passadas foi um grande cavaleiro cruzado, ganhou muitas lutas, ficou famoso, tornou-se respeitado e admirado por seus talentos, cresceu entre seu grupo e nesta vida tem verdadeira fixação por essa parte da história.

Assim, quando apareceu numa sessão sua vivência nessa época, chorou como criança.

No final do encontro, comentou que sentia saudades do sucesso de outrora porque hoje encontrava apenas portas fechadas, inclusive, os amigos não o compreendiam e o achavam arrogante, coisa que ele não concordava.

O tempo passou e precisei de serviços de telefonia.

Como ele trabalhava com isso, chamei o rapaz e qual a surpresa quando o engenheiro da minha obra, homem gentil e prestativo, procurou-me para dizer que não trabalharia com Adriano...

Por quê?
Perguntei espantada, pois sabia o quanto ele era competente e confiável.
Maria Silvia esse moço tem mania de perseguição.

Quando pedi algumas explicações e alguns ajustes, ele ficou se explicando mil vezes, deu voltas, não fez o que pedi e saiu da obra ofendido.

Como podemos trabalhar com alguém assim?

Como nada é por acaso, alguns meses depois Adriano me procurou.

Meio sem graça, pediu desculpas por abandonar a obra.

Como já sabia do assunto, fiquei feliz dele abrir esse diálogo e de procurar ajuda novamente.

Por que você fez isso?
Perguntei realmente interessada na resposta, mas não me surpreendi quando ele veio com um discurso sobre honra, sobre ser afrontado pelo engenheiro, sobre ser incompreendido pelas pessoas, por se sentir perseguido.

Foi impressionante quantas coisas sofridas saíram de sua mente e de seu coração.
Parece que o mundo estava contra ele.

Na sessão que fizemos naquele dia, apareceram apenas cenas de perseguição, guerra, atentados contra a honra e pudor, e ele como vítima tentando se defender e perdendo.

No presente, as dores se repetiam, ele estava praticamente sem trabalho, as pessoas se afastavam sem ele entender por que, enfim, nada dava certo.

Amigo leitor, o caso do Adriano explica muito bem o que é um ataque.

Ele de fato tinha um mal karma; no passado, fez coisas erradas, sentiu-se superior e abusou do poder e foi o algoz de muitas almas... porém, há muitas vidas estava vivendo o outro lado da mesma moeda.

Tornou-se uma vítima cheia de pudores e honras, alguém que não dá certo na vida.

Como mudar?
Ele me perguntou.
Saindo deste papel.
Respondi de forma objetiva.

Mas é claro que expliquei que as pessoas nem sempre conseguem entender o que está por trás dos infortúnios e, de fato, muitas vezes são vítimas do que acontece, sentem-se presas nesta condição mesmo tendo consciência que não é nada bom ficar nessa condição.

Todos nós precisamos mudar, transmutar, crescer.

Adriano estava vítima do seu orgulho.
Neste caso, além de conhecê-lo e as suas Vidas Passadas, também conhecia o seu algoz que nesse momento era uma pessoa ótima, tranqüila de lidar, que em nada servia para o papel.

O engenheiro, porém, era uma pessoa exigente e ponderada que tinha o seu plano de ação e as suas obrigações.

Adriano, apesar de competente, não aceitava ordens e, com isso, com certeza, não soube lidar com o desafio profissional.

E como será que ele estava lidando com outros pontos de sua vida?

Os ataques espirituais acontecem justamente potencializando a dor nos pontos onde somos mais frágeis, e o primeiro passo para a cura é reconhecer nossas fragilidades.

O ponto do Adriano era o orgulho...
Tenha coragem e enfrente a sua sombra, porque é exatamente onde está doendo que está a cura.

Nem sempre enxergamos nossos problemas, pois não é fácil reconhecê-los.

Quando trato as pessoas, fica clara a presença de energias intrusas, espíritos obsessores, forças contrárias.

E é justamente por isso que precisamos tanto nos dedicar aos exercícios de expansão de consciência e perdão.

O perdão nos liberta e aos nossos agressores.

Se você não ficar mais na posição de vítima, inclusive se perdoando por estar sofrendo, e assumindo uma postura positiva e autotransformadora não haverá espaço para o agressor.

Seja humilde, queira se melhorar.
A compreensão e o perdão são as chaves.
Perdoe-se e perdoe àqueles que lhe fizeram mal.
Não há ataque que resista a essa força.
Experimente!


Maria Silvia Orlovas

LIBERTAÇÃO DA ALMA


Frequentemente me perguntam:
"Mestre, o que devo fazer para libertar minha alma da roda da encarnação?"

Isto não é algo difícil de fazer.
Pode ser realizado encarando seus medos e dúvidas.
E aprendendo a ter fé e confiança no mundo espiritual.

E não querendo fazer do seu modo, mas esperando que o mundo espiritual guie e oriente você.

Indo para seu interior por conta própria ou com a ajuda de um terapeuta experimentado para descobrir o que está escondido na sua alma provindo de vidas passadas.

Liberando-se do condicionamento estabelecido ou pelos seus pais, ou, novamente, por experiências de vidas passadas que ainda estão na alma.

Toda vez que você elimina uma dessas questões, você deixa um espaço maior para os reinos espirituais entrarem.

Quanto mais espaço, mais os auxiliares espirituais podem trabalhar com e por você.

No fim, não há bloqueios, somente espaço, e a alma pode então partir desimpedida, nunca mais voltando a reencarnar.

Não há saída fácil nem atalho.

Trabalho duro e esforço são exigidos.

Pode ser realizado.

E então a alma está livre.


Maitreya




Fonte: http://www.maitreya-edu.org/blog/
Selene - sintesis@ajato.com.br
http://stelalecocq.blogspot.com

Paris, conheça-a agora em sua tela de computador!


Saudades de todos,
Mas vamos a realidade dos nossos tempos ...

Dois fotógrafos franceses e uma empresa de informática criaram uma foto panorâmica em 220º da cidade de Paris.

Esta imagem tem 26 bilhões de pixels, o que permite uma resolução fantástica. Segundo eles, seria a maior imagem digital do mundo.

A fotografia em altíssima resolução ocuparia dois estádios de futebol caso fosse impressa, afirmam os autores do projeto que eles batisaram : "Paris 26 Gigapixels".

Os fotógrafos Arnaud Frich e Martin Loyer tiraram 2.346 fotos da capital francesa, que foram reunidas em uma só imagem por um programa de computador criado pela empresa Kolor.

A partir da foto panorâmica de 220º exposta no site do projeto, o internauta pode aproximar a imagem para ver em detalhes vários locais turísticos da capital francesa.

A altíssima resolução da foto, superior à do site Google Earth, também permite que se observe placas de ruas, objetos nas vitrines e detalhes das roupas de algumas pessoas que aparecem nas imagens.

http://www.paris-26-gigapixels.com/index-en.html

É o mundo da informática trazendo o mundo para nossas telas de computador.
Espero que gostem.

Tome cuidado com a vaidade!


A vaidade é uma brecha moral que infelicita bastante a humanidade.
A luta por posições de realce ocupa muito tempo das criaturas.

Mesmo quem não tem vocação para encargos elevados, freqüentemente os procura.

E não o faz por espírito de serviço, mas para aparecer.

Valoriza-se muito a vitória aparente no mundo, mesmo quando conquistada à custa da própria paz.

Mas será que isso compensa?

Não valerá mais a pena viver humildemente, mas com dignidade?

Ocupar postos de destaque traz grande responsabilidade.

Para quem não está preparado, a derrocada moral pode ser grande.

Satisfazer a vaidade é um grande perigo.

A tentação de evidenciar a própria grandeza pode fazer um homem cair no ridículo.

Há pouca coisa mais lamentável do que alguém despreparado desempenhando um grande papel.

A ausência de discernimento pode levar a ver virtudes onde elas não existem.

A aceitar conselhos de quem não merece confiança.

A tomar decisões sob falsas perspectivas.

A vaidade manifesta-se sob muitas formas...

Está presente na vontade de dizer sempre a última palavra.

Por relevante que seja o argumento do outro, o vaidoso não consegue dar-lhe o devido valor.
Imagina que, se o fizer, diminuirá seu próprio brilho.

O vaidoso tem dificuldade em admitir quando erra, mesmo sendo isso evidente.

Ele não consegue perceber a grandeza que existe em admitir um equívoco.

Que é mais louvável retificar o próprio caminho do que persistir no erro.

A vaidade também dificulta o processo de perdoar.

O vaidoso considera muito importante a própria personalidade.

Por conta disso, todas as ofensas que lhe são dirigidas são gravíssimas.

Já os prejuízos que causa aos outros são sempre pequenos.

Afinal, considera o próximo invariavelmente mais insignificante do que ele próprio.

A criatura acometida de vaidade dá-se uma importância desmedida.

Imagina que os outros gastam horas refletindo sobre seus feitos.

Por conta disso, sente-se compelida a parecer cada vez mais evidente.

Como todo vício moral, a vaidade impede uma apreciação precisa da realidade.

Quem porta esse defeito não percebe que apenas se complica, ao cultivá-o.

Que seria muito mais feliz ao viver com simplicidade.

Que ninguém se preocupa muito com sua pessoa e com sua pretensa importância.

Que, ao tentar brilhar cada vez mais, freqüentemente cai no ridículo e se torna alvo de chacota.

Analise seu caráter e reflita se você não possui excesso de vaidade.

Você reconhece facilmente seus erros?

Elogia as virtudes e os sucessos alheios?

Quando se filia a uma causa, o faz por ideal ou para aparecer?

Admite quando a razão está com os outros?

Caso se reconheça vaidoso, tome cuidado com seus atos.

Esforce-se por perceber o seu real papel do mundo.

Reflita que a vaidade é um peso a ser carregado ao longo do tempo.

Simplifique sua vida, valorize os outros, admita os próprios equívocos.

Ao abrir mão da vaidade, seu viver se tornará muito mais leve e prazeroso.


Equipe de Redação do Momento Espírita.

Para amar a Deus


Amar a Deus, entregar poemas e canções ao Criador, ter uma fé tão profunda que nada possa abalar.

Este é o sonho dos homens religiosos.

Mas são poucos os que alcançam esse estado de espírito.

Em geral, Deus é quase inalcançável para a maioria dos seres humanos.
Parece tão distante quanto as estrelas.
E por isso sofremos.

Cabisbaixos, seguimos vida afora com uma tristeza no peito, acreditando que somos piores que os outros, porque não conseguimos amar a Deus como amamos filhos, companheiros, pais e até amigos.

O que há de errado conosco?

O que há de errado conosco é a pressa.
Engolidos pelo turbilhão do mundo, esgotamos nosso tempo com coisas supérfluas...
E não nos sobram momentos para meditação e prece.

Envolvidos com as rotinas vazias, gastamos tempo demais com as atividades desnecessárias.
Enquanto isso, Deus aguarda.

Por outro lado, nossa mente de homens modernos foi treinada para ser apressada, imediatista.
Queremos tudo sem demora, instantaneamente.

Mas os assuntos de Deus têm seu tempo certo.
Exigem disciplina, coração aberto, mente calma.
A experiência Divina não se submete ao relógio humano e suas tolas pressões.

Portanto, vivenciar o amor a Deus é um aprendizado gradual, que se faz devagarinho.
Esse amor existe dentro de cada um de nós, mas falta descobri-lo.

Para levantar o véu que encobre o amor a Deus, estabeleça momentos só seus com o Criador.
Como se fosse um namoro, uma aproximação delicada.

Comece pela natureza que se derrama em luz e cor.
Abra os olhos diante das tonalidades do céu quando o sol se põe.

Veja os azuis, dourados, amarelos e violetas.
E pense em Deus como um pintor que faz quadros por puro amor.

Nos sons delicados da brisa e dos pássaros, ou quando alguém compor uma canção emocionada, lembre de Deus que criou a música, que preenche nossas vidas.

Pense em Deus diante da majestade da montanha ou da pequenez de uma abelha.
Ali estará a genialidade do Artesão Divino, que faz mundos e insetos com a mesma habilidade.

E pense em Deus quando contemplar seu próprio corpo, essa perfeita máquina de viver.

Com suas milhares de células, nervos, músculos e ossos ela abriga o tesouro mais precioso do mundo: seu Espírito imortal.

Siga pela vida buscando Deus em todas as coisas.
E em seu coração você sentirá brotar, enfim, um amor diferente.

Algo novo, indescritível.

Você sentirá que traz olhos confiantes e um desejo de entrega total ao Pai Divino.
Um sentimento de ternura vai inundar a sua alma e, finalmente, você entenderá de forma plena porque Jesus usava a doce expressão Pai para se referir a Deus.

Nesse dia, você se descobrirá uma criança de Deus. Uma criança que anseia pelo acolhimento, pela proteção e pelo amor desse Pai Divino.

* * *

Minha canção despiu-se de seus adornos.

Ornamentos atrapalhariam a nossa união, pois ficariam entre mim e Ti, e seu tilintar abafaria a Tua voz.

Minha vaidade de poeta se enche de vergonha diante do Teu olhar.

Ó Mestre poeta, estou sentado aos Teus pés! Apenas permite que eu torne simples e reta a minha vida, como uma flauta de bambu, para que Tu a enchas de música.


Momento Espírita
da obra Gitanjali, de Rabindranath Tagore, ed. Paulinas

FELICIDADE


É comum, no ser humano, a busca ansiosa pela FELICIDADE.

No entanto, a FELICIDADE faz parte de nossas vida e nós não percebemos.

FELICIDADE é, muitos vezes, termos o trabalho e nele nos realizamos.

FELICIDADE é termos amigos e neles confiar.

FELICIDADE é possuir uma família e junto dela crescemos.

FELICIDADE é a paz de consciência, é não aceitar aquilo que venha com FACILIDADE e agradecer as dificuldades que nos ensinam a caminhar com mais segurança.

FELICIDADE é ter olhos para ver e sermos capazes de ver além das formas que nos chegam à retina.

FELICIDADE é saber ouvir os sons e identificar o som sublime que nos chega de DEUS, através de tudo o que a Natureza nos fala.

FELICIDADE é poder pensar, e pensar com sensatez, ajudando-nos e ajudando os nossos semelhantes através da orientação segura...

FELICIDADE é, enfim, sabermos sofrer e sabermos não fazer sofrer aqueles que nos cercam.

Dr. Bezerra de Menezes

'SEMPRE ACREDITEI EM VIDA APÓS A MORTE', DIZ ELISABETH JHIN


Católica, a autora da novela das seis da Globo, "Escrito nas Estrelas", Elisabeth Jhin teve assessoria de espíritas para escrever sua trama, que atingiu 25 pontos de média nas duas primeiras semanas (1,5 milhão de domicílios na Grande SP).

O cineasta Wagner de Assis, que está dirigindo o filme "Nosso Lar", baseado em livro de Chico Xavier, foi um dos que a auxiliaram, conta Jhin.
Ela também leu livros do psiquiatra Brian Weiss, que estuda reencarnação.

O que achou do resultado de audiência da novela até agora?
Elisabeth Jhin - Estou muito feliz com a repercussão.
Escrever novela é um trabalho árduo.
Saber que o público está gostando é uma alegria.
O entusiasmo de toda a equipe é grande, e isso é essencial para um bom resultado no ar.

O tema espiritual colabora para o sucesso?
Sim, se considerarmos que estamos refletindo sobre inquietações pelas quais todos passamos.
Minha intenção é enfocar a espiritualidade no seu sentido amplo, aquela busca pelo sagrado que existe dentro do homem desde que ele se pôs de pé e conseguiu olhar para o alto.

Por que novelas espíritas costumam fazer sucesso?
O estudo da espiritualidade reflete sobre questões pertinentes a todos.
Imagino que a identificação do público pelo tema tenha a ver com isso, independentemente de religião.
Mas não acho só o tema determinante para o sucesso da empreitada, que envolve o talento de muita gente.

A autora Andrea Maltarolli [morta em 2009] estava fazendo a sinopse de uma novela sobre fantasmas para este ano.
É coincidência que você tenha optado pelo espiritismo ou a Globo tinha planos de abordar o tema agora?
A idéia desta novela surgiu a partir de um artigo sobre reprodução humana e os aspectos éticos ligados à ciência genética.
Pensei em como seria uma mulher gerar um filho com o sêmen de um homem morto e comecei a me perguntar sobre as implicações de um ato desses na esfera espiritual. Quando criei a novela, não pensei no centenário do Chico Xavier, foi coincidência.

Como católica, como fez para conceber a história?
Sou católica de formação, estudei em colégio de freiras, mas não pratico nenhuma religião. A busca da espiritualidade sempre foi uma constante em minha vida.
Sempre acreditei que existe vida após a morte, ela continua de outra forma e em diferentes dimensões.

Para a novela tive vários encontros com Luiz Queiroz e Wagner de Assis, que me ajudaram a entender a espiritualidade.
Também li muito, principalmente livros de Brian Weiss [psiquiatra norte-americano que pesquisa reencarnação e terapia de vidas passadas].

Como é criar um mundo desconhecido?
Em uma obra de ficção, a imaginação é fundamental, seja para criar um mundo desconhecido ou mesmo conhecido.
Também buscamos estudar e entender sobre aquilo que vamos escrever.
É uma pitada de cada coisa.


Folha de S. Paulo.

Calêndula para a pele


Testes realizados na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP), da USP, revelaram que o extrato da calêndula (Calendula officinalis), planta originária da região mediterrânea entre Europa, África e Ásia, é eficaz para proteger a pele contra os efeitos da radiação ultravioleta emitida pelo Sol.

Experiências realizadas com animais mostraram que as formulações contendo o extrato de calêndula reduzem o estresse oxidativo causado pelos raios solares, promovendo efeito fotoprotetor e retardando o envelhecimento da pele.

Proteção contra radiação solar

A calêndula foi adaptada às condições climáticas do Brasil e, segundo a farmacêutica Yris Maria Fonseca, é usada popularmente como agente anti-inflamatório tópico contra queimaduras, especialmente as provocadas pelo Sol.

"O estudo verificou se o extrato de calêndula também seria eficaz contra os danos causados pela radiação solar, comprovando cientificamente um de seus usos populares", conta Yris, que é uma das responsáveis pelo estudo.

Os experimentos foram realizados com camundongos de laboratório geneticamente modificados, sem pelo, que tiveram lesões induzidas por luz ultravioleta.

"Verificou-se o estresse oxidativo, alterações na morfologia do tecido e das células e a presença de inflamação da pele", aponta Yris.

"As análises mostram que o extrato de calêndula, administrado por via oral ou tópica, foi eficaz para prevenir o estresse oxidativo causado pela radiação solar."

Na pesquisa, foi possível inibir totalmente o estresse oxidativo, deixando a pele dos ratos semelhante à de animais que não receberam radiação.

"O extrato também estimulou a síntese de colágeno, o que pode evitar o aparecimento de sinais característicos de pele envelhecida, como rugas e perda de elasticidade", acrescenta a farmacêutica.

Extrato de calêndula

De acordo com Yris, o extrato de calêndula apresenta uma grande quantidade de flavonoides e polifenóis, substâncias com reconhecido potencial antioxidante.

"Acredita-se que a redução do estresse oxidativo aconteça não por causa de um composto isolado, mas devido ao efeito sinérgico entre as substâncias presentes no extrato de calêndula", explica.

No estudo, a calêndula foi testada em três formulações diferentes, sendo que uma formulação do tipo gel apresentou melhor desempenho para fotoquimioproteção.

"Para que o produto seja disponibilizado comercialmente, serão necessários novos testes, relacionados à segurança e toxicidade, entre outros aspectos", observa a farmacêutica.

Calêndula contra o câncer

O extrato também passou por testes de citotoxicidade, realizados em duas linhagens de células tumorais e uma de células normais.

"O maior efeito tóxico foi registrado nas linhagens tumorais, preservando a normal, o que demonstra o potencial para o tratamento de câncer", aponta Yris.

"Entretanto, este é um resultado preliminar, que precisará ser confirmado em estudos específicos".

A pesquisa sobre os efeitos da calêndula em lesões agudas provocadas pela radiação solar faz parte da tese de doutorado de Yris, realizada no Laboratório de Controle de Qualidade de Medicamentos e Cosméticos da FCFRP.

O trabalho teve a orientação da professora Maria José Vieira Fonseca, da FCFRP.

Em sua pesquisa de pós-doutoramento, a farmacêutica irá investigar o efeito fotoquimioprotetor da calêndula sob a radiação exposta cronicamente, em longo prazo.

Sabedoria


Conta-se que num país longínquo, há muitos séculos, um rei se sentiu intrigado com algumas questões.
Desejando ter respostas para elas, resolveu estabelecer um concurso do qual todas as pessoas do reino poderiam participar.

O prêmio seria uma enorme quantia em ouro, pedras preciosas, além de títulos de nobreza.

Seria premiado com tudo isto quem conseguisse responder a três questões: qual é o lugar mais importante do mundo?
Qual é a tarefa mais importante do mundo?
Quem é o homem mais importante do mundo?

Sábios e ignorantes, ricos e pobres, crianças, jovens e adultos se apresentaram, tentando responder as três perguntas.

Para desconsolo do rei, nenhum deles deu uma resposta que o satisfizesse.

Em todo o território um único homem não se apresentou para tentar responder os questionamentos.
Era alguém considerado sábio, mas a quem não importavam as fortunas nem as honrarias da terra.

O rei convocou esse homem para vir à sua presença e tentar responder suas indagações.
E o velho sábio respondeu a todas:

- O lugar mais importante do mundo é aquele onde você está.
O lugar onde você mora, vive, cresce, trabalha e atua é o mais importante do mundo.
É ali que você deve ser útil, prestativo e amigo, porque este é o seu lugar.

- A tarefa mais importante do mundo não é aquela que você desejaria executar, mas aquela que você deve fazer.

- Por isso, pode ser que o seu trabalho não seja o mais agradável e bem remunerado do mundo, mas é aquele que lhe permite o próprio sustento e da sua família.
É aquele que lhe permite desenvolver as potencialidades que existem dentro de você.
É aquele que lhe permite exercitar a paciência, a compreensão, a fraternidade.

- Se você não tem o que ama, importante que ame o que tem.
A mínima tarefa é importante.
Se você falhar, se se omitir, ninguém a executará em seu lugar, exatamente da forma e da maneira que você o faria.

E, finalmente, o homem mais importante do mundo é aquele que precisa de você, porque é ele que lhe possibilita a mais bela das virtudes: a caridade.

- A caridade é uma escada de luz.
E o auxílio fraternal é oportunidade iluminativa.
É a mais alta conquista que o homem poderá desejar.

O rei, ouvindo as respostas tão ponderadas e bem fundamentadas, aplaudiu, agradecido.

Para sua própria felicidade, descobrira um sentido para a sua vida, uma razão de ser para os seus últimos anos sobre a Terra.

***

Muitas vezes pensamos em como seria bom se tivéssemos nascido em um país com menos inflação, com menos miséria, sem taxas tão altas de desemprego, gozando de melhores oportunidades.

Outras vezes nos queixamos do trabalho que executamos todos os dias, das tarefas que temos, por acha-las muito ínfimas, sem importância.

Desejamos que determinadas pessoas, importantes, de evidência social ou financeira pudessem estar ao nosso lado para nos abrir caminhos.

Contudo, tenhamos certeza: estamos no lugar certo, na época correta, com as melhores oportunidades, com as pessoas que necessitamos a nossa evolução.

Pense nisso.
Mas, pense agora.


Equipe de Redação do Momento Espírita

A magia infantil


Linda era chinesa e morava no Havaí.
Contrariando o pai, que a desejava ver casada com alguém dos clãs chineses, ela foi para a Califórnia.

Entrou para a universidade, apaixonou-se por um americano branco, de olhos azuis e com ele se casou.
Uma cerimônia simples, bem ao contrário das festas pomposas, no estilo dos casamentos tradicionais, como esperava seu pai.

Depois do casamento, um silêncio pesado se fez entre pai e filha.
Ele não a visitava, ela também não.
Quando a mãe telefonava, o pai nunca pedia para falar com a filha.

Por todas estas atitudes do pai, Linda entendia que ele estava desaprovando tudo o que ela fizera.
Ela traíra todos os princípios.
Contudo, Linda se lembrava da infância feliz, no Havaí.
Lembrava-se de, aos 3 anos, ser a sombra do pai.

Correr atrás dele entre as bananeiras.
E, quando ela cansava, o pai a colocava nos ombros.
Dali de cima ela podia ver o mundo.
E o pai cantava uma canção que falava: "você é minha luz do sol.
Você me faz feliz quando o céu está cinzento."

Então, Linda teve um bebê.
Quando o bebê completou cinco meses, ela decidiu que era a hora de mostrá-lo aos avós.
Por isso, ela, o marido e o filho foram ao Havaí.

Linda estava angustiada. Será que o pai a receberia?
Ela estava levando um menino no colo, que pouco tinha a ver com os antepassados chineses.
Como mãe, ela dizia para si mesma que se seu pai rejeitasse o neto, ela nunca mais voltaria.

Ao chegarem, as saudações foram educadas.
O velho chinês olhou a criança sem nenhuma reação.
Depois do jantar, o bebê foi acomodado em um berço em um quarto.

Linda e o marido se recolheram para um descanso.
De repente, ela acordou em sobressalto.
Havia passado a hora do bebê mamar.

Levantou-se.
Nenhum som de choro.
Pelo contrário, ela ouviu uma risada delicada de bebê.

Atravessou o corredor, chegou à sala.
Seu filho de apenas cinco meses estava deitado em uma almofada, com as mãos e os pés em agitação alegre.
Sorria para o rosto inclinado sobre ele.
Um rosto asiático, bronzeado pelo sol.

O avô dava a mamadeira para o netinho, enquanto lhe acariciava a barriguinha e cantava baixinho: "você é minha luz do sol."

A criança conseguira, em breve tempo, conquistar o coração do avô e pôr fim a um afastamento tolo entre pai e filha.

Hoje, o avô chinês caminha feliz, seguido por uma sombra saltitante de olhos cor de mel e cabelos encaracolados de quatro anos de idade.

***

Os filhos não são propriedade dos pais.
Portanto, têm direito a suas escolhas.

Os pais devem recordar sempre que os filhos são espíritos, que renascem através deles. Suas vidas, seus anseios são deles.

Aos pais cabe a orientação, a diretriz segura, mas a caminhada é de exclusividade dos filhos.

Romper o vínculo de afeto por quaisquer questões tem sempre como conseqüência dor para ambas as partes.

O melhor, portanto, é dialogar, ponderar e se chegar a um acordo, bom para ambas as partes.

Um acordo em que o filho siga o caminho para a conquista da sua felicidade e os pais se apresentem como o apoio, o abrigo seguro, a terra firme do bom senso.


Revista Seleções do Reader´s Digest, junho/2000, pág. 9

A POLARIDADE PODER-AMOR


Saudações, Queridos,
Eu Sou Metatron, Senhor da Luz e saúdo todos e cada um de vocês em Amor Incondicional!!!

Mestre, sua vida é uma jornada de exploração.
Sua estadia na Terra é uma oportunidade maravilhosa para descobrir e explorar o que está no seu interior e fora de você.
Você se encontra em uma belíssima odisséia algorítmica.
A terceira dimensão serve para ajudá-lo a se mover mais para o alto e, assim, trabalha de mãos dadas com o enigma algorítmico, facilitando e estimulando a manifestação externa do espírito interno através da mente objetiva.

Na sua estadia inicial e nas suas primeiras campanhas no Plano Terreno, as oitavas disponíveis na terceira dimensão são o foco.
Mas, conforme você progride, a terceira dimensão deve dar lugar às oitavas cristalinas superiores da quinta dimensão, para que haja um verdadeiro avanço em direção à “iluminação” Mer-Kí-Vica que deve ocorrer na Ascensão.

Em consequência, conforme você progride na senda da iluminação, muitas experiências lhe são apresentadas na sua jornada.
No começo da Busca, as encruzilhadas e bifurcações são relativamente fáceis de serem vistas, no que diz respeito a qual dos caminhos seguir.
Porque, no começo, o impulso da decisão é baseado mais na polaridade óbvia e contrastante entre o que se poderia chamar de preto e branco, ou seja, são decisões entre certo e errado, amor e ódio.
As escolhas são relativamente fáceis nessa fase, embora no momento possa parecer que não são.

Assim, enquanto você progride, é realmente uma dádiva que tentativas e erros lhe permitam enxergar os seus enganos.
Todo mundo comete enganos, mas nestes erros de crescimento, é fundamental ser sempre gentil consigo mesmo e também compreensivo com os outros que estão em seus próprios caminhos.

Nós lhe dizemos com certeza que, numa fase posterior de retrospectiva, quando você fizer uma revisão da sua vida, ficará maravilhado com a jornada que empreendeu.
Você ficará surpreso com as aparentes dificuldades e sofrimentos pessoais e, retrospectivamente, desejará ter estado mais consciente da beleza de tudo o que se passava à sua volta e ter podido se encantar com as justaposições perfeitas dos testes intricados que pareciam mais difíceis.
Então, tome um tempo no AGORA, enquanto avança, para simplesmente se deleitar na sua EXISTÊNCIA.

À medida que você progride em espírito e sabedoria, o caminho se acelera, levando-o a experiências mais desafiadoras e complexas - e a polaridade muda de tipo.
As bifurcações da estrada tornam-se menos polarizadas em relação à conduta óbvia.
A clareza entre o preto e o branco torna-se um pouco mais acinzentada e é necessária uma reflexão mais profunda para diferenciar a verdadeira senda da Maestria.

POLARIDADE AMOR-PODER

E então é inevitável que, ao chegar nos estágios acelerados, você seja forçado a fazer escolhas que não são tão imediatamente aparentes.
Geralmente são escolhas, não mais tão óbvias, entre o que poderíamos chamar de “amor e ódio” ou “bem e mal”, em suas formas mais sutis.
As escolhas oscilam entre AMOR e PODER.
Cada progresso alcançado leva-o a planos mais elevados, dimensões mais elevadas e, realmente, o paradigma de polaridade difere em cada novo estágio.

Veja, provavelmente Amor e Poder são as lições de vida mais difíceis e complexas.
O verdadeiro Poder existe na graciosidade do AMOR.
Mas o aparente paradoxo é que o Amor também necessita da força da vontade para completá-lo na dualidade.

Uma das lições que a humanidade experienciou na Atlântida foi que existem épocas em que a força é necessária ao bem mais elevado, para enfrentar as ambições sombrias daqueles que procuram aprisionar outros e usar os recursos para controlar o mundo.
Um dos seus sábios afirmou:
“O mal só pode vencer quando os ‘homens bons’ não fazem nada.”

Mas o seu grande desafio é que tipo de ação deve ser tomada.
As guerras não são vencidas através de novas guerras.
A paz só poderá ocorrer quando for mais desejada do que a guerra e for pró-ativamente projetada na manifestação da realidade com a força extraordinária do AMOR.

EQUILIBRAR É O PASSO FINAL PARA COMPLETAR O CUBO MÁGICO

Portanto, muitas pessoas que estão em caminhos adiantados têm várias encarnações (nos hologramas de tempo multidimensional) que seguem um propósito sucinto, relacionado com o estudo concentrado do Amor e do Medo; de um ou de outro.
Essas encarnações podem se transformar em sequências de experiências drasticamente diferentes e separadas e muitos de vocês estão agora com a tarefa de juntar os dois extremos, nos estágios finais do aprendizado de crescimento.

Em outras palavras, existem propósitos de vida especificamente voltados para o aprendizado da criação da responsabilidade do poder, que se dividem em duas séries separadas: uma delas dedicada a aprender os aspectos do Amor e outra dedicada a aprender os do Poder.

Geralmente estas duas seguem “caminhos de alma” extremamente diferentes, de modo que as expressões e experimentações terrenas das duas contrastam tão poderosamente, que acaba ocorrendo o que se poderia chamar de fragmentação da alma.

Como exemplo, muitos de vocês tiveram uma série de encarnações em que vestiram o hábito; vidas de servidão como monges, freiras, padres, etc., onde o foco era aprender a humildade em benefício do serviço aos outros, com uma natureza aberta e amorosa.

E vocês mesmos tiveram uma outra série de encarnações, que geralmente se expressaram de forma muito diferente, nas quais tinham um papel chave de liderança.
Nestas vidas vocês podem ter sido legisladores, líderes governamentais ou comerciais, membros de dinastias dominantes e pessoas com imensa fortuna.

Um aspecto interessante dos filtros da dualidade é que as expressões da personalidade nestes dois campos geralmente são tão absolutamente diferentes e contrastantes, que existe uma separação de polaridade de consciência entre ambas.
De uma certa forma, isto acontece do mesmo modo – apesar da diferença de propósito – nas encarnações como homem e mulher.
Os seres humanos têm a tendência a considerar que a maioria de suas vidas é ou como homem ou como mulher.
A maioria dos homens não reconhece ou se refere a muitas encarnações em que viveu na forma feminina, e vice-versa.
Isto é uma separação tridimensional.

Esta diferença ocorre com muito mais intensidade na série de vidas cujo aprendizado é a responsabilidade do Poder e as nuances do Amor.
Ambas são tão abrangentes que são escolhidos ambientes e padrões astrológicos totalmente diferentes para estas duas lições opostas, e um “abismo de alma” separa as duas, exigindo que elas sejam reunificadas.

VIDAS DE SERVIDÃO E VIDAS PARA APRENDER O PODER

O propósito das vidas de servidão muitas vezes pode criar problemas que precisam ser resolvidos. Isto inclui questões relacionadas com:

1. AUTO-ESTIMA: a incapacidade de amar a si mesmo, baseada no programa interno do “pecado original” e a necessidade de ser perdoado, baseada na imperfeição inata do ser humano, conforme é ensinado nos textos religiosos.
O resultado é a baixa auto-estima e isto conflita com a Divindade do ser humano, como Aspecto de Deus Criador.

2. INCAPACIDADE PARA MANIFESTAR ABUNDÂNCIA: a rejeição da abundância financeira e a incapacidade para criar o que é necessário, em termos financeiros, devido às vidas de votos de pobreza.
O resultado é a percepção ou crença errada de que a espiritualidade não pode existir na abundância financeira.

3. FRACASSO NOS RELACIONAMENTOS: DESEQUILÍBRIO ENTRE DAR E RECEBER – Vidas de servidão, especialmente em serviços religiosos, muitas vezes pode levar a uma incapacidade para receber.
Isto acontece com pessoas de natureza espiritual, que conseguem dar mas não conseguem receber, e o resultado é novamente um aspecto de desequilíbrio na auto-estima, ou problemas de falta de valorização própria.
É a crença em que “é melhor dar do que receber”.
Assim se estabelecem relacionamentos “de mão única”, em que um só doa e que inevitavelmente não dão certo.

4. FALSA MORAL RELIGIOSA: um aspecto de comportamento hiper-crítico, que condena aqueles que parecem estar agindo de maneira não ética ou que não estão seguindo o mesmo sistema moral ou religioso.

As vidas voltadas para o aprendizado do exercício responsável do Poder muitas vezes levam a questões difíceis, tais como:

1. DESEQUILÍBRIO DO EGO – baseado num sentimento de superioridade, auto-engrandecimento e autoridade.

2. CONTROLE – a característica de tentar impor sua vontade aos outros em ocasiões inapropriadas.
A necessidade de ser o responsável, de modo que os outros “sigam” as suas ordens.

3. AUTO-INDULGÊNCIA – um aspecto de egoísmo e preguiça, incapacidade de trabalhar o autocrescimento, satisfação excessiva dos próprios desejos, gastando demais, comendo demais, focando-se no prazer.

Então, como dissemos, como todos vocês precisam aprender a amar e também a criar responsabilidade, vocês planejam e têm séries de encarnações totalmente separadas em “estruturas” de Poder e “estruturas” de Amor, nas quais o foco e a experiência podem ser tão amplamente diferentes, que elas se tornam extremamente polarizadas.

Em cada uma delas, a personalidade se desenvolve de modo tão diferente que, em alguns casos, pode aparentemente ocorrer o que chamaríamos de fragmentação da alma ou polarização da alma, nos hologramas multidimensionais das suas “encarnações”.
Alguns de vocês ficariam chocados com os extremos.

Muitos de vocês, nos seus contextos espirituais, sentiriam repulsa pelas expressões de personalidade que experienciaram durante o aprendizado do poder, e vice-versa.
Apesar da “ruptura da alma”, todas precisam ser harmonizadas, “restauradas” e reconciliadas numa harmonia de alma.
O bom em cada uma deve ser escolhido, e o que não serve, liberado.

Esta restauração e harmonia podem e devem ocorrer.

Um procedimento que leva a isto é ensinado na fase da Mer-Ka-Va, o segundo nível do Corpo de Luz Cristalina da Mer-Ki-Va.
Porque, conforme atingem estágios mais complexos de encarnações, vocês mesclam as duas correntes de vida; e isto está entre os quebra-cabeças mais complexos, e é uma das últimas peças requeridas para a verdadeira Maestria.

Assim, quando restauram a alma – e muitos de vocês estão fazendo isto AGORA – vocês mesclam as duas cadeias de aprendizados numa experiência presente.
Isto representa um grande desafio, pois em alguns momentos, vocês chegarão em “bifurcações” algorítmicas na senda de iluminação, onde deverão escolher entre duas direções.

Aparecerá uma bifurcação em que as duas direções lhes parecerão corretas.
Essa bifurcação é entre Poder e Amor, e ambas são necessárias, queridos.
Portanto, a decisão será sobre qual delas prevalece, e esta lição está entre as mais difíceis que vocês encontrarão.

Amar não significa permitir que alguém pise no seu pé, e Poder não significa pisar no pé dos outros que estão “no caminho” quando você tem certeza de que está certo.

OS DOIS GUMES DA LIDERANÇA

Para aqueles que atingem a autoridade influente na liderança espiritual, o processo de decisão torna-se muito mais crítico, pois a responsabilidade de agir de acordo com a verdade é requerida para se manter o que foi aprendido.
A influência, Queridos, é a espada de dois gumes da liderança espiritual e deve ser temperada e sempre exercida com sabedoria.

Todos vocês são centelhas do Criador.
Todos vocês são uma família composta de Mente Divina.
Então, enquanto progridem, entendam que o amor é uma chave frequencial que nunca pode ser esquecida.
Entretanto, haverá momentos em que todos os seres humanos a esquecerão.
E com isto estou falando com todos vocês.

Agir de acordo com o que se prega é fundamental na liderança espiritual.
Entretanto, conforme vocês vão avançando na senda, as armadilhas vão se tornando mais difíceis de serem vistas, e poderá haver momentos em que vocês terão menos paciência com aqueles de mentalidade diferente ou que são menos adiantados.
E isto, por si só, é uma oportunidade de prova e crescimento.

Nós lhes rogamos que não se coloquem num trono, e não abandonem aqueles que aparentemente vivem nos recessos sombrios do coração e da mente.
Não condenem aqueles que tentam despertar a dúvida em vocês ou que apontam os dedos para os erros dos outros, mesmo quando os acusadores se recusam a enxergar suas próprias faltas.

Embora reconheçamos que isto seja mais fácil de ser dito do que de ser feito, não fujam do conflito tão rapidamente e sentindo-se tão superiores, que a pressa e reação instintiva os ceguem para uma verdade maior.
Tomem um tempo para uma auto-análise e façam isto de um ponto de vista não passional.

Um dos seus “Quatro Acordos” não lhes diz para “nunca considerarem nada como pessoal”?
Realmente há sabedoria nisso.

Vamos compartilhar com vocês um outro conceito importante e lhes pedimos que tomem alguns instantes para refletir profundamente sobre isto: a sabedoria não ocorre automaticamente através da mera coletânea de conhecimentos, independentemente de quão vastos eles possam ser.
Ela vem através da destilação intensa da experiência e da auto-análise feita com pensamento puro e imparcial.

A verdadeira sabedoria só pode ocorrer em estados de análise não emocional da sua experiência através da perspectiva da sua própria “terceira pessoa interna”!
E, para fazer isto, é preciso descartar as crenças inconscientes indesejáveis, associadas à experiência na mente tridimensional.
Entendem?

MATANDO A SERPENTE

E Mestres, nós realmente reconhecemos o grande desafio que isto representa, quando as tensões do dia-a-dia parecem exigir todo o foco da atenção da sua consciência na terceira dimensão.
É necessário um esforço tremendo para estancar a poderosa maré de emoções e os ímpetos de medo relacionados à sobrevivência na dualidade, entretanto isto deve ser feito, e mais cedo ou mais tarde cada um de vocês aprenderá como fazê-lo!

É isto que “a morte da serpente” simboliza, nas suas alegorias e metáforas religiosas.
E exige que pensem com a mente clara.

Certamente todos vocês, em determinados pontos, se depararão com esta mudança conceitual, como uma experiência subjetiva de mente clara, quando acessarem a quinta dimensão.
Ela entrará como um pensamento imparcial puro, e vocês a sentirão como uma onda revigorante.
Isto é a matriz vibracional da quinta dimensão que todos vocês devem reconhecer e depois nutrir.
Pois ela é o mecanismo que os retira da gaiola dourada do engrandecimento oculto do ego.
E quando mesclarem suas encarnações de Poder e Amor, todos vocês terão certos obstáculos a limpar, os quais vocês não tinham entendido que eram bloqueios, porque nas lições da terceira dimensão eles devem ter servido para levá-los a um certo ponto de crescimento.

Isto vai acontecer inevitavelmente quando restaurarem e unificarem seus fluxos de vida de Poder e Amor. Acontecerá como um momento de claridade.
E entrará numa onda cristalina, um tsunami azul num campo de aparente supercondutividade, explorado e experienciado dentro da Mer-Ki-Va.

É uma hélice de AMOR e Poder em suas naturezas frequenciais puras.
Embora não sejam polarizados, no sentido tridimensional, a intersessão dessas duas cruzes de “correntes cristalinas” é onde a restauração e unificação da alma se iniciam na MerKiVa.
Isto começa na dimensão do cinco.

Vocês só podem acessar verdadeiramente as oitavas cristalinas da quinta dimensão, quando seus campos áuricos atingem o circuito 13-20-33 e, como resultado, suas frequências são capazes de vibrar na expansão da criatividade cristalina pura da Mer-Ki-Va.
No ponto de entrada da Mer-Ki-Va, a dualidade e as frequências polarizadas – que durante tanto tempo fizeram parte das suas experiências na terceira dimensão, nos campos eletromagnéticos da grade anterior – vão dar lugar à expansão cada vez maior do campo cristalino unificado.

Vocês fundirão os aspectos masculino e feminino em um todo unificado, à medida que entrarem na Mer-Ka-Va e na Mer-Ka-Na.
E a dualidade tridimensional parecerá muito menos significativa no seu declínio natural nos planos superiores.

A JORNADA ETERNA DA INTEGRIDADE

Mas esta conquista exige foco e esforço na unificação.
Como já lhes dissemos inúmeras vezes, o crescimento espiritual e a liderança espiritual são uma jornada e não um fim.
Eles requerem constante auto-análise e re-calibragem para se manterem.

Inúmeras pessoas, através dos éons, fracassaram quando o poder da liderança levou ao desequilíbrio do ego.
Pois realmente o corcel do PODER pode cegar o cavaleiro, retirá-lo da sela e velozmente induzi-lo a caminhos rochosos e terrenos impróprios.

Todos vocês serão tentados pela sedução do poder, todos vocês… especialmente quando a notoriedade e a celebridade entrarem em cena.
Quando o auto-engrandecimento do ego entra, ele geralmente o faz por uma janela dos fundos, que foi esquecida aberta; e entra sorrateiramente, sem ser notado, irreconhecível, porque não era essa a intenção do indivíduo.

Sua marca de identificação é revelada quando estar “certo” assume uma importância maior do que amar.
E Mestres, geralmente a trama do ego no campo energético é tão sutil, que a queda não é visível para o indivíduo.
Quantas das suas guerras não ocorreram, na espiral descendente da destruição, entre “facções religiosas” que desejavam impor uma à outra o seu próprio dogma do “sagrado” e a sua própria Verdade, como sendo mais verdadeira do que a Verdade da outra.
Mestres, a humildade é a chave.
Nunca se levem tão a sério a ponto de perderem de vista a sua própria humanidade dentro da dualidade.

OS DOIS GUMES DO EGO

Os seus sábios e seus textos filosóficos e religiosos todos lhes dizem que a liberação do ego é a chave para encontrar Deus.
Mas, na verdade, existe um grande abismo conceitual entre este conselho e a compreensão da maioria dos seres humanos sobre como aplicá-lo.
O ego reside na mente frontal, a mente consciente, e é a ferramenta indispensável na dualidade-polar da terceira dimensão, que permite que o indivíduo tenha uma percepção empírica do eu e da individualidade.

Portanto, é necessário separar aspectos do ego que servem ao crescimento do ser humano e aqueles que não servem.
Do contrário, como pode um indivíduo, na busca da “iluminação” espiritual, compreender as complexidades de “abandonar o ego”?
A crise de comunicação interna poderá acontecer muitas vezes, e isto é uma coisa que todos os seres humanos na dualidade devem resolver, independentemente do nível do seu coeficiente de luz.

A VERSÃO ESPIRITUAL DO “PRINCÍPIO DE PETER”

Mas nós lhes dizemos que o ego é o culpado da criação do que vocês conhecem como o “Princípio de Peter”, na sua versão espiritual.

Nos negócios e num aspecto administrativo, o “Princípio de Peter” afirma que um indivíduo pode se elevar até um nível de incompetência.
Aquilo que o promove em um nível, o leva a ser despedido no nível seguinte!
Num pequeno jogo de sintaxe, nós lhes dizemos que, no Crescimento Espiritual, muitas vezes o ser humano se eleva até seu nível de inexperiência, e essa inexperiência frequentemente leva-o a uma queda temporária da graça.

Quando o ego leva à arrogância, ocorre um curto-circuito elétrico no nível básico do campo áurico.
Então o requerido circuito 13-20-33 é desconectado, o “sinal” de comunicação clara com o Eu Superior se perde e é substituído por ondas variadas de estática e interferência.

Ahankara representa o aspecto da presunção exagerada que leva à arrogância.
O verdadeiro caminho é a experiência – muitas vezes através do sofrimento e erro, causa e efeito – que leva à compreensão de que abandonar o ego significa reconhecer a centelha divina em si mesmo e em cada ser humano, e à vontade de permitir que a voz sutil do Eu Superior, ou Eu Divino, dirija a sua vida.

Assim, o ego deve ser ajustado e monitorado através da auto-avaliação.
E esta auto-revisão deve ser feita num estado de total neutralidade.
Na auto-avaliação o ego deve ser liberado e as ações devem ser vistas a partir da sua “terceira pessoa” interna, permitindo a possibilidade de você estar errado.
É aí que se encontra o desafio… um desafio com bom propósito.

O poder é uma grande sedução e tentação. Inúmeros líderes metafísicos e espirituais acabam se tornando dependentes da adulação.
E quando isto acontece, há uma mudança sutil na qual eles perdem o circuito 13-20-33 (*) e não apenas ficam “emperrados”, como de fato transformam-se em “tomadores de energia”, numa espiral descendente

Uma sombra desce entre as bordas do caminho intermediário que mostra como manter um equilíbrio perfeito entre amor e poder com ego e humildade.
O amor deve ser sempre a chave, e a sabedoria final é aprender que se render ao Amor traz um tremendo Poder, e este é o Poder em sua forma mais elevada.
Mas ouvir as palavras da Verdade não é o mesmo que aprender e vivenciar a VERDADE.

DISCERNIMENTO É FUNDAMENTAL PARA A MAESTRIA

Existem muitos metafísicos que carregam uma grande quantidade de conhecimento espiritual e que desenvolvem uma ânsia de compartilhar esse conhecimento.
Embora este seja um atributo positivo, é necessário evitar as armadilhas das “Demonstrações de Superioridade Espiritual” e do “Status de Guru”.

É correto compartilhar o mistério, no entanto cada um deve usar o discernimento individual para encontrar sua própria voz interior.
O tempo dos gurus já passou.
Agora cada um de vocês deve ser seu próprio guia.
O discernimento é fundamental.
Se não ressoar, rejeite.

O objetivo é desenvolver a Divindade interior.
O objetivo não é “canalizar Mestres Ascensos nem Seres Angélicos”, mas canalizar a sua própria Divindade interior.

Para ser claro, realmente existem almas que canalizam Mestres Ascensionados e Anjos, mas isto não pode ser alcançado sem primeiro canalizar a Divindade do EU.
E acessar o seu Mestre Interior é tudo o que sempre foi necessário ou exigido.
“Você é DEUS!”

E assim terminamos esta conversa com uma reflexão sobre a VERDADE: o discernimento individual sempre é a chave, pois a verdade de um homem pode ser a tolice para outro.
E o grande teste da espiritualidade é a maneira com que vocês harmonizam as múltiplas VERDADES.

O maior Poder é o Poder do Amor.
Amem a si próprios e amem uns aos outros, pois a unidade do AMOR é uma grande realização para o ser humano, no micro e no macro.

Mestres, saibam que estamos sempre com vocês e sempre os honramos nesta incrível jornada.

Eu Sou Metatron e compartilho estas VERDADES com vocês.

Vocês são Amados.
E assim é.


Uma Mensagem de Metatron
Canalizada por Tyberonn
Tradução de Vera Corrêa
www.Earth-Keeper.com

ORAÇÃO PELOS ELEMENTAIS


Em nome da Minha poderosa presença do EU SOU
Vou Curar Milhões de Elementais na Terra

Amada e poderosa Presença do EU SOU, em nome do meu Santo Cristo Pessoal e pelo amor, sabedoria e poder da minha Chama Trina, invoco a ação transmutadora do fogo do meu ser, multiplicado pela Chama Violeta, multiplicada pelo fogo do Grande Sol Central e pelo Magneto do Grande Sol Central!

Invoco esta ação em prol de toda vida elemental, incluindo o meu elemental do corpo e os elementais dos corpos de todas as almas em evolução no planeta Terra.

Peço que a porção da Chama por mim invocada e tudo o que EU SOU possam agora curar milhões e milhões de elementais na Terra!

Decreto que isto aconteça em nome da minha própria Cristicidade, em nome de me tornar o Mestre Ascenso que serei e que já sou, pois a semente está encerrada dentro de si mesma e, a semente da minha poderosa Presença do EU SOU está comigo dentro do meu coração!

Portanto, dedico as porcentagens do fogo da minha corrente de vida permitidas pelos Senhores do Carma, à libertação de toda vida elemental.

Assim o declaro em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo e da Mãe Divina universal.

E aceito que isso se manifeste agora mesmo com pleno poder e com a benção dos Senhores do Carma.


Amém!

FLORAIS DE SAINT GERMAIN - A bala de prata certeira nos vampiros emocionais


Ultimamente fala-se muito nessa coisa de vampiros emocionais e isso infelizmente existe mesmo.
E o principal cuidado que temos que ter são nos casos mais sublimes quando nem imaginaríamos que seríamos sugados.
Por vezes até em casa ou no trabalho ou em fatos que vivemos achando que é bom para nós, mas na verdade só estamos tapando um buraco.

Existem inúmeros casos quando podemos dispersar nossa energia sem perceber e vão desde pessoas, situações, pensamentos, sentimentos e é aí onde mora o perigo maior. Por exemplo: pessoas que sugam nossa atenção ou que nos causam emoções que não sabemos identificar e ficamos presos em algo que nem se sabe se irá acontecer.

Casos interessantes também ocorrem naqueles relacionamentos onde temos que manter certa distância de alguém para que não ocorra a famosa ”recaída”, voltando a um laço afetivo danoso sem saber como se libertar.
Por vezes observamos casos onde já não é mais uma paixão mas uma obsessão que faz com que o ser passe a maior parte de seu tempo preso a um sentimento ao invés de dar contas de seus afazeres.
Por vezes nem é amor, porém, necessidade de tampar o buraco da solidão, empatando o próprio caminho e o caminho do outro.

Outro exemplo: aqueles que ficam atolados em um ritmo que mesmo querendo se desvencilhar, não conseguem.
Enfim, muitos fatores.

Coloquei abaixo uma pequena lista de essências florais que ajudam emocionalmente em determinados tipos de situações vampiras em nossas vidas.
Lembro que cada caso é um caso.
Sempre é interessante consultar um terapeuta que trabalhe com essa linha de florais para obter maior eficácia.

CÔCOS -
Para pessoas que estão em situações em que se sentem “capachos dos outros”. Geralmente baixam suas cabeças cumprindo um série de responsabilidades em prol de algo ou alguém, não olhando para si mesmas e vendo o que precisava para si em primeiro lugar.
Essas pessoas vivem sempre ou em função de algo, ou em função do trabalho e acabam sempre se sobrecarregando, não observando outras coisas boas da vida.

LÓTUS MAGNÓLIA –
Essência que ajuda emocionalmente no caso de pessoas que vivem sentimentos de paixão que lhes são prejudiciais ou por não serem correspondidos ou por ser algo platônico.

LÍRIO DA PAZ –
Dá-nos ferramentas para nos libertarmos de envolvimentos (afetivos ou não) que nos causam dano.

LÍRIO REAL -
Ser livre. Viver sem prisões.
Essência floral que traz a consciência de ser livre dentro de qualquer situação, circunstância ou lugar.

PERPÉTUA -
Trabalha o desapego.
Desapegar de um pensamento, sentimento ou situação é fechar uma das portas para o vampirismo.
Também ajuda em situações para esquecer alguém por término de relacionamento afetivo ou por morte.

SÃO MIGUEL -
Proteção energética em caso de pessoas vitimadas por magia negra ou por se envolver com algo parecido com esse tipo de energia.

ALLIUM -
Desfaz encantamentos.
Traz potente proteção aos ataques de forças psíquicas astrais e conseqüentes vampirismos.
É um poderoso desobsessor.

CARRAPICHÃO -
Combate o vampirismo por sondas astrais.
Essas sondas são lançadas também à distância, por telefone ou quando entram em sintonia com o mental (em pensamento) dos que vampirizam.
Às vezes a pessoa está bem durante o dia inteiro, porém em contato com certas pessoas fica mal, depressiva e entristecida.
Ou com alguém em específico que mexe com nosso emocional de uma maneira que não conseguimos nos libertar.



Keli Cristina Miranda
Terapeuta Ayurvédica

A Música e seus efeitos terapêuticos


Segundo a Canadian Association for Music Therapy, "a Musicoterapia é a utilização da música para auxiliar a integração física, psicológica e emocional do indivíduo e para o tratamento de doenças ou deficiências.
A natureza da musicoterapia enfatiza uma abordagem criativa no trabalho terapêutico, possibilitando uma abordagem humanista e viável que reconhece e desenvolve recursos internos geralmente reprimidos pelos clientes".

Os instrumentos musicais e seus efeitos:
PIANO - combate a depressão e a melancolia
VIOLINO - combate a sensação de insegurança
FLAUTA DOCE - combate nervosismo e ansiedade
VIOLONCELO - incentiva a introspecção e a sobriedade
DE SOPRO - inspiram coragem e impulsividade.

Para combater a depressão e o medo excessivo:
- Sonho de Amor, de Liszt
- Serenata, de Schubert
- Guilherme Tell (Abertura), de Rossini
- Noturno Opus 48, de Chopin
- Chacona, de Bach.
O ideal é uma sessão diária de meia hora pela manhã.

Para combater insônia, tensão e nervosismo:
- Canção da Primavera, de Mendelssohn
- Sonata ao Luar, de Beethoven (Primeiro Movimento)
- Valsa nº15 em Lá Bemol, de Brahmms
- Sonho de Amor, de Liszt
- Movimentos Musicais nº3, de Schubert.
Depois de ouvir as peças indicadas, escolha a que deu melhores resultados e escute-a diariamente, antes de dormir.
No ínicio, os efeitos são leves.
É preciso um pouco de paciência e persistência para notar progressos.

Durante a gravidez e para facilitar o parto:
- Concerto para violino, Opus 87B, de Sibelius.
- Sonata Opus 56, de Haydn
- As quatro Estações, de Vivaldi
- Concerto Tríplice, de Beethoven
- Concerto para violino, de Brahmms
- Concerto para violino, de Tchaikovsky.

Ouvidas alternadamente, por perídos durante a gravidez e nos dias que precedem ao parto, estas peças geram bem-estar e contribuem para o nascimento de crianças tranquilas.

Para melhor estimular a memória:
- Concerto em Dó Maior para bandolim, corda e clavicórdia, de Vivaldi
- Largo do Concerto em Dó maior para Clavicórdia, BMW 976, de Bach
- Spectrum Suíte, Confort Zone e Starbone Suíte, de Stephen Halpern.
Fazer sessões de 1 hora, pela manhã, ao acordar. Alterne cada peça, a cada dia.

Para favorecer a interiorização e a meditação:
- Concerto nº2 para Piano, de Rachmaninov (último movimento)
- Concerto em Lá menor para piano, de Grieg (primeiro movimento)
- Concerto nº1 para piano, de Tchaikovsky (primeiro movimento)
Ouvir qualquer peça durante 10 minutos antes da meditação.

É importante enfatizar que a música não é um curativo eficaz em si mesmo, mas que seus efeitos terapêuticos resultam de uma aplicação profissional durante um processo terapêutico.

Silvana Giudice
Terapeuta holística

Terapia Ayurveda





O corpo é composto de três doshas: vatta, pitta e kapha.
Vatta é feito de ar e espaço.
Pitta, de fogo e água.
Kapha, de água e terra.

Os doshas são as três forças energéticas fundamentais que representam todos os princípios psicofisiológicos do corpo.
Descobrir a composição dos doshas de cada paciente é o intuito central do diagnóstico do médico ayurvédico.
É a partir disso que o tratamento será desenvolvido.

Cada pessoa possui uma proporção única dos três no corpo que é determinada na data do nascimento.
A essa proporção imutável, uma espécie de DNA dóshico, dá-se o nome de prakriti.
É de acordo com o prakriti que todas as características físicas, psíquicas e espirituais do indivíduo se manifestam.

Então, existem só três tipos de pessoa?
Não é tão simples.
Cada indíviduo pode ter a predominância de um, dois ou até de todos os três doshas no corpo.
Isso faz com que cada paciente seja tratado de uma forma única.
Afinal, cada pessoa possui um prakriti exclusivo.

Além disso, de acordo com sua rotina, sua alimentação e até sua profissão, a constituição dóshica pode se distanciar do equilíbrio do prakriti e adquirir uma configuração instantânea diferente.
A ela se dá o nome de vikriti.
No ayurveda, a saúde só é alcançada quando o prakriti, a constituição natural, coincide com o vikriti, a configuração instantânea.
É o que se chama de equilíbrio.

E como se acha essa "constituição natural"?
Por meio de um longo diagnóstico que acontece em quatro etapas.
Primeiro o médico observa as caraterísticas físicas do sujeito.
Depois faz minuciosos exames que avaliam, entre outras coisas, a língua e a urina.
Aí vem um questionário para descobrir o perfil psicológico.
E, finalmente, o peculiar exame de pulso.

Enfim, a prática

Agora que já sei o meu prakriti, é só identificar as características físicas e psicológicas que me afastam da minha constituição natural e usar os tratamentos do ayurveda para restabelecer o equilíbrio do corpo.

Muitos desses tratamentos têm um caráter preventivo, como a prescrição de exercícios físicos que estejam de acordo com os doshas.
As pessoas que tem vata são agitadas.
Elas devem fazer exercícios que levam para dentro, para acalmar vata, como ioga, dança, alongamento e caminhada.
Da mesma forma, os com pitta têm fogo em excesso e precisam de jogging ou natação.
E, para kapha, gente calma por natureza, o ideal são exercícios aeróbios, como corrida, musculação e artes marciais.

Outro tratamento importante é a definição de uma dieta alimentar que equilibre os doshas.
Na medicina ayurvédica, os rasa (sabores) exercem papel significativo na regulação dos doshas.
Comidas doces, ácidas ou salgadas equilibram vata.
Os sabores adstringente, amargo e doce são bons para pitta.
E alimentos amargos, adstringentes e picantes são indicados para kapha.

De acordo com o ayurveda a comida não deve ser nem muito cozida nem muito crua.
E tem de ser ingerida morna, pois tudo o que é gelado apaga agni, o "fogo" digestivo.
O ayurveda é contra produtos enlatados, fermentados, refinados e quaisquer restos.
A comida tem de ser feita na hora, de preferência sem agrotóxico - alimentos industrializados não possuem prana (energia).

O arsenal terapêutico do ayurveda inclui ainda yoga, meditação, ervas e massagem. Na massagem ayurvédica a escolha do óleo é feita de acordo com o dosha.
Para vata, usa-se óleo de gergelim.
Para pitta, de coco e para kapha, de mostarda.
Sempre óleo vegetal, de sementes orgânicas prensadas a frio.

Mas não há só terapias leves e agradáveis.
No panchakarma, um tratamento para purificar o corpo, ocorre indução de vômitos, ingestão de purgantes, administração de enemas, inalação de fumaça e prática de sangria.

A verdade é que qualquer tentativa de entender o ayurveda com olhos ocidentais vai ser, no mínimo, incompleta.
O ayurveda é o fruto de um modo de pensar cuja origem se perde no tempo e propõe um estilo de vida baseado nessa experiência acumulada.
Tratar-se desse modo é um mergulho quase arqueológico numa visão bem diferente do Universo - o que não deixa de ser fascinante.

por Centro Integrado de Ciências Ayurvedicas

CHEGOU A HORA DAS ESCOLHAS


A Terra está passando por uma transição na qual energias cósmicas mais potentes e puras começam a permeá-la e a afastar forças negativas que por milênios estiveram aqui instaladas".

Conscientemente ou subconscientemente todos sabem de que se trata quando ouvem falar nessa transição e logo pressentem algo que transformará toda a superfície do planeta. Sentem tensão, temor ou depressão à medida que seus antigos valores vão decaindo. Sobretudo nas metrópoles a decadência das bases desta civilização assume grandes proporções, destruindo o ânimo, a harmonia e o equilíbrio, impedindo que haja paz entre os seres e no interior de cada um.

Mas é possível estar diante desta transição planetária de forma inteligente, não como vítima, mas como colaborador das energias superiores, radiantes e luminosas que começam a se implantar. Para isso, importa saber que os pensamentos e as emoções estão em geral mergulhados nesse contaminado campo coletivo de tensão e conflito e que, portanto, não são confiáveis.

O primeiro passo é o de tomar consciência de que no próprio ser há um núcleo que está acima dos pensamentos normais e das emoções, um núcleo de harmonia estável, que não se deixa abalar por nenhuma situação externa. Trata-se de aspirar ao contato e à identificação com esse núcleo.


O segundo passo é o de aprender a frear a mente para impedir sua tendência a envolver-se com os estímulos desarmonizadores que recebe. Esses dois passos — o do reconhecimento do núcleo de paz interior e o do controle da mente — são fundamentais. Ante qualquer situação conflituosa, esses passos têm grande valor.

Outro passo essencial é o de não deixar que a inércia se implante no ser. A tensão e a depressão enfraquecem o corpo de energias, o chamado corpo etérico que, se estiver desvitalizado, leva a pessoa à apatia. É indispensável o correto uso da vontade e a realização de atividades evolutivas. Pessoas que estejam passando pelo assédio de forças psíquicas desordenadas ou que tenham sido abaladas por algum choque ou perda não deveriam isolar-se, nem confirmar esse estado, mas sim ir ao encontro de atividades que possam beneficiar os demais.

A higiene, a ordem e a harmonia em si próprio e no ambiente são mais importantes do que se pensa, pois evitam o ingresso em estados de caos. Mantê-las é uma espécie de medida preventiva, profilática, que não deve faltar, dado que as forças conflituosas dos níveis psíquicos se sustentam com essas desarmonias. Além disso, diante de instabilidades emocionais ou mentais, o relacionamento com o alimento se desestabiliza: a pessoa tanto pode passar a comer em demasia, na tentativa de compensar a desvitalização — o que não resolve, pois sua causa não é física —, quanto pode perder o apetite, por causa da apatia e do desinteresse pela vida. Em quaisquer circunstâncias, a alimentação simples, sem condimentos excessivos, contribui para a regularização dos ritmos orgânicos.

É também fundamental manter sempre a própria independência quanto às opiniões e às idéias circulantes, que em geral só confundem; exemplo disso é a ansiedade que se instala em razão da crença de que a saúde do corpo se perde se não se dorme bem. Se a pessoa não consegue dormir, em vez de se deixar levar por essa ansiedade ou pela angústia, deveria usar criativamente o tempo, realizando alguma tarefa útil e assim buscando disciplinar a atividade mental. Quando desordenada, é ela a principal causa de insônia.

Um poderoso auxílio no restabelecimento do equilíbrio é ouvir peças musicais inspiradas. Obras de qualidade elevada são capazes de reorganizar as energias da pessoa e podem ser curativas, tanto quanto uma boa leitura.

Enfim, a fé, a autodisciplina e a ausência de especulações mentais levam ao contato com a vida interior, encontro que não pode ser adiado nos tempos que correm.


Essas sugestões são preliminares para viver em paz interior e com sabedoria a época atual. Quando alguém as adota com determinação, pode canalizar e irradiar as energias do porvir num mundo que hoje está desorientado.


por Lucya Janeth Vervloet

ESTUDO RELACIONA 'VISÕES ANTES DA MORTE' A SUBSTÂNCIA NO SANGUE




Cientistas acreditam ter encontrado a explicação para os relatos feitos por pessoas que estiveram perto da morte, de visões como uma "luz no fim do túnel" ou de imagens dos momentos vividos desfilando como um filme diante dos olhos.

A equipe da Universidade de Maribor, na Eslovênia, examinou as informações de 52 pacientes durante o momento de uma parada cardíaca, e concluiu que esses fenômenos se devem aos altos níveis de dióxido de carbono (CO2) presentes no sangue naquele exato momento, por conta da suspensão da respiração.

Os níveis elevados deste composto químico foram registrados em 11 pacientes que relataram ter vivido experiências do tipo, segundo um artigo na revista científica "Critical Care".

Os pesquisadores não encontraram nenhum padrão associado a sexo, idade, nível de educação, credo, medo da morte, medo da recuperação ou drogas subministradas durante o ressuscitamento.

Entre as experiências relatadas por pacientes que estiveram próximos da morte estão a visão de um túnel ou uma luz forte, uma entidade mística e até a sensação de "sair do próprio corpo".

Outros relatam apenas uma sensação de paz e tranquilidade

Na cultura popular, esses fenômenos são atribuídos à religião ou às drogas.

Mas, para a equipe eslovena, o estudo oferece uma explicação mais consolidada de por que tantos pacientes que sobrevivem a uma parada cardíaca relatam estas sensações.

Estima-se que entre 10% e 25% dos pacientes que sofrem de paradas cardíacas vivenciam algo semelhante.

A anoxia - a morte de células do cérebro em consequência da falta de oxigênio - é uma das principais teorias para explicar as experiências vividas em momentos de morte iminente.

Mas este efeito foi estatisticamente insignificante no pequeno grupo de onze pacientes que as vivenciaram no estudo esloveno.

Em compensação, os níveis de CO2 no sangue destes pacientes foi muito mais alto que no resto dos pacientes da pesquisa.

Outros experimentos já mostraram que inalar dióxodo de carbono pode levar alucinações similares às relatadas em momentos de morte iminente.

O que a equipe ainda não sabe, porém, é se estes altos níveis de CO2 se devem à parada cardíaca ou se já eram registrados antes do fenômeno.

"Esta é potencialmente outra peça do quebra-cabeças.

Precisamos de mais pesquisas", disse a pesquisadora que coordenou o estudo, Zalika Klemenc-Ketis.

"Experiências de quase morte nos fazem questionar nossa compreensão da consciência humana, portanto, quanto mais, melhor."

O cardiologista Pim van Lommel, que há anos estuda fenômenos semelhantes, descreveu as conclusões como "interessantes".

"Mas eles não encontraram a causa, apenas uma associação.

Acho que isto permanecerá um dos grandes mistérios da humanidade", disse.

"As ferramentas que os cientistas possuem simplesmente não são suficientes para explicá-los."